domingo, 11 de abril de 2010

1

Novo tratamento órfão para o linfoma avançado em 2011


 A Seattle Genetics, Inc. e a Millenium: The Takeda Oncology Company, em conjunto com a Takeda Pharmaceutical Company Limited, anunciaram ter chegado a acordo para desenvolverem e comercializarem o brentuximab vedotin (SGN-35), avançam as companhias em comunicado.
Trata-se de um medicamento anti-corpo conjugado (MAC), cujo alvo é o CD30, que está no último estadio de ensaios clínicos para o tratamento de linfoma de Hodgkin (LH) reincidente recidivante e refratário e para linfoma anaplásico sistémico de células grandes (LACG).
Durante o segundo semestre de 2010 esperam-se dados de um ensaio-piloto de fase II do brentuximab vedotin em LH reincidente ou refratário. O ensaio está sendo conduzido sob um protocolo especial com a Food and Drug Administration (FDA), e foi desenhado para fornecer a base para as submissões regulamentares nos EUA e na Europa em 2011.
Nesta colaboração, a Seattle Genetics detém os direitos de comercialização do brentuximab vedotin nos EUA e no Canadá. O Grupo Takeda detém os direitos exclusivos de comercialização do produto nos restantes países do mundo. A Seattle Genetics e o Grupo Takeda irão financiar em conjunto os custos de desenvolvimento a nível mundial. No Japão, o Grupo Takeda vai ser o único responsável pelos custos de desenvolvimento.
“Esta parceria alinha o nosso objetivo de rapidamente fazer chegar o brentuximab vedotin aos doentes de todo o mundo. O Grupo Takeda é o parceiro ideal dada a sua presença global, o seu compromisso com a Oncologia e a experiência nas vendas e no marketing de excelência em terapias para necessidades médicas insatisfeitas”, declarou Clay B. Siegall, Ph.D., presidente e CEO da Seattle Genetics.
“A inclusão do brentuximab vedotin no nosso pipeline de desenvolvimento oncológico apoia a nossa missão de desenvolver novos medicamentos inovadores em áreas onde há muitas carências em termos de terapias” afirmou Deborah Dunsire, M.D., presidente e CEO da Millennium, The Takeda Oncology Company.
“Esta parceria alinha-se intimamente com a nossa estratégia de crescimento, que inclui oportunidades tanto internas como externas. Estamos muito entusiasmados em trazer à luz do dia um novo medicamento que vai ajudar-nos a aumentar a nossa presença em Oncologia em toda a Europa e no resto do mundo”, acrescenta o CEO.
Os MACs são constituídos por anti-corpos monoclonais que transportam medicamentos cujos alvos são, precisamente, as células tumorais. A Seattle Genetics desenvolveu a tecnologia que utiliza medicamentos sintéticos potentes que podem ser acoplados a anti-corpos através de sistemas estáveis de ligação. 
As ligações são desenvolvidas para serem estáveis na corrente sanguínea e permitir a libertação do medicamento sob condições específicas uma vez dentro das células-alvo. Esta abordagem pretende poupar as células não tumorais e, desta forma, reduzir muitos dos efeitos tóxicos da quimioterapia tradicional.

1 Comentário:

C@rin disse...

Muito bom!

Acabei de ler no linfomação um resuminho disso: http://linfomacao.blogspot.com/2010/04/novos-tratamentos-em-linfoma.html

Abraço