sábado, 31 de outubro de 2009

5

Medicação e exames de alto custo no SUS


(Me desculpem, mas este post teve que ficar um pouco longo)

A Lei 8.080/90, que criou o Sistema Único de Saúde, foi editada com fundamento na Constituição da República, a qual classifica a saúde como um direito de todos e dever do Estado (União, Estados-Membros e Municípios).

Esta Lei, no seu artigo 4º, dispõe que o conjunto de ações e serviços de saúde, prestados por órgãos e instituições públicas federais, estaduais e municipais, da Administração Direta e Indireta e das fundações mantidas pelo Poder Público, constitui o Sistema Único de Saúde (SUS).

Nesse contexto, a garantia constitucional de inviolabilidade do direito à vida se materializa em todo o território nacional através de ações concretas implementadas pelo Governo Federal através do Ministério da Saúde, que, por suas Secretarias Estaduais e Municipais, estabelece políticas efetivas no âmbito da saúde pública.

Os medicamentos de alto custo, ou excepcionais, são usados para as mais variadas patologias. Os remédios como a ribavirina e interferon, empregados no tratamento de hepatite B e C, são exemplos de medicamentos de alto custo, adotados durante os meses de tratamento ou até pela vida toda

A garnde maioria das pessoas que precisam destes remédios não têm condição financeira de comprá-los, pois podem chegar até a 10 mil reais por mês, inviabilizando o tratamento da doença. Alguns são distribuídos gratuitamente pelo SUS, mas, até que isso se efetive, o candidato deve passar por um longo procedimento que inclui exames, consultas e confirmação da doença. Somente após estas etapas é que o paciente é cadastrado no programa de medicamentos excepcionais, na supervisão do SUS e, conseqüentemente, entra na planilha de recebimento destes medicamentos.

Em caso de urgência, as dicas abaixo servem para qualquer procedimento/medicação que não consta no rol do SUS.

- Inicialmente, verifique se o exame ou medicamento é fornecido pelo SUS. Se não, procurar um advogado ou a defensoria pública de sua cidade. Antes, porém, certifique-se de estar com todos os papéis organizados, inclusive o seu cadastro na Oncologia do SUS.

- Procure um oncologista do SUS e solicite a elaboração de um relatório médico justificando a necessidade do exame e/ou medicamento de alto custo pretendido.

- Em seguida dirija-se ao protocolo da Ouvidoria do SUS de sua cidade e dê entrada na documentação, junto com os formulários lá preenchidos. A Ouvidoria, então, negará o pedido, alegando que seu objeto não faz parte da lista de medicamentos cadastrados.

É com essa negativa que se entra na justiça contra o Estado. Deve-se observar que são responsáveis solidários pelo SUS, além do Município, o Governo do Estado e a União. A entrada na justiça pode se dar em diversas instâncias.

- Encaminhe a seguir para um advogado ou defensoria pública os documentos mencionados, acrescidos da carteira de identidade, comprovante de residência, comprovante de renda, laudo do exame de biópsia do tumor e laudo de exame recente de imagem (tomografia ou ressonância magnética).

Assim instruído, o advogado dará entrada numa ação ordinária com pedido de antecipação de tutela. Deferida pelo juiz, a antecipação de tutela será encaminhada a Secretaria de Saúde, que deverá providenciar o exame e/ou medicação. Se a secretaria demorar a agendar, a solução é chamar a polícia e prender alguém. Isso vai depender da paciência ou urgência do paciente.

De todos os recursos aplicados pelo SUS na assistência farmacêutica, um terço corresponde à aquisição de remédios excepcionais, que são distribuídos a todas as secretárias de saúde do país. O sensato seria encontrar soluções viáveis junto aos laboratórios, ao governo e a sociedade, pois são muitas as pessoas que dependem desses remédios para ter uma qualidade de vida melhor.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

5

Remédio contra câncer só na Justiça


27/10/2009 - 00h00 ( - A Gazeta)
Daniella Zanotti

Em abril deste ano, a ministra da Casa Civil, Dilma Rouseff, foi diagnosticada com Linfoma, um tipo de câncer que mata mais que 3 mil pessoas por ano. Para combater a doença, ela fez uso de um dos medicamentos mais modernos, o MabThera (rituximabe), que combinado com quimioterapia, aumenta em até 25% a chance de cura. Mas nem todo mundo consegue o medicamento. Ou, pelo menos, não para o tratamento todo.

Esse foi o caso do empresário Fábio de Paula Moraes, que morreu aos 28 anos, vítima de câncer linfático, mais precisamente, linfoma Não-Hodgkin, localizado entre o coração e o pulmão. Fábio faleceu no último dia 14, depois de um ano e oito meses de tratamento no Hospital Santa Rita, referência no Estado.

A tia do empresário, Marlene Eloísa de Paula, diz que o sobrinho só conseguiu receber o rituximabe, porque entrou na Justiça. Mas a aplicação do medicamento veio tarde demais, já que o câncer havia se espalhado. "Ele dizia que era muito jovem para morrer". Cada dose do remédio, que não faz parte do protocolo do Ministério da Saúde, custa cerca de R$ 10 mil. Marlene acredita que, se o sobrinho tivesse utilizado o medicamento desde o começo, teria mais chances.

"O tumor reduziu 90%, mas para fazer o transplante com as próprias células, ele precisaria não ter mais nada. O remédio teria ajudado, mas ele perdeu a oportunidade". A médica Rita Rocha, referência em Oncologia da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), afirma que o MabThera não está na lista aprovada pelo Ministério, mas a Sesa compra o remédio para pacientes com indicação médica, após análise da evolução da doença. A Sesa informou que o remédio não foi solicitado para o paciente.

Linfoma: lista de remédios é defasada
A Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale) já solicitou ao governo que inclua o Mabthera na lista dos medicamentos aprovados pelo Ministério da Saúde. Segundo a associação, o Mabthera, combinado com a quimioterapia, garante índices muito maiores de recuperação.

A Abrale protesta que o SUS não possua tratamento adequado para o linfoma, e a lista de medicamentos para esse tipo de câncer não é atualizada há mais de 10 anos pelo gorverno.

A advogada da Abrale, Daniella Zaborowsky Coelho, afirma que a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, e de outros Estados, tem concedido a compra do medicamento, após análise de casos isolados e por meio de ação judicial.

"A Sociedade Brasileira de Hematologia já recomenda o uso desse medicamento, por isso ele deve fazer um tratamento integral, oferecido pelo SUS", defende. Quando diagnosticado a tempo e tratado com os medicamentos certos, os pacientes com linfoma têm 95% de chance de cura.

Bem, amigos, por enquanto estou tendo sorte, pois ainda não tive que brigar para ter acesso à medicação. O hemoam aqui no Amazonas está de parabéns, desde o início de meu tratamento venho usando o Mabthera.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

5

Dia dos pais





1

Medicina Anti-Aging


Parece que nunca existiu, como atualmente, um interesse tão obsessivo e crescente em se identificar e controlar os fatores que levam a um retardo do processo de envelhecimento, de forma a prolongar o período de características juvenis e mantê-lo por um longo tempo.

Surge, neste sentido, um novo conceito de medicina, a chamada Anti-Aging (age=idade), consistindo na combinação de diversos cuidados e tratamentos para retardar o envelhecimento, de dentro pra fora e de fora pra dentro do corpo. Nos fundamentos do programa, nada de muito novo além da conjugação de fatores como nutrição adequada, reposição hormonal e atividade física, além de procedimentos cosméticos e cirúrgicos na definição de um protocolo de tratamento.

Este protocolo, aplicado por médicos especialistas em 40 dias, com freqüência de duas a três vezes ao ano, promete levar o paciente a perder de 10 a 15 kg de peso e de 12 a 14 cm de cintura, e, ainda por cima, acreditem se quiserem, a um rejuvenescimento de 10 a 15 anos. Bem, como era de se esperar, até aqui as mulheres são as que mais têm conferido a novidade.

Denominado Optimal Health Program, ele chegou ao Brasil no segundo semestre deste ano e foi apresentado pelo médico Paul Ling Tai, renomado cirurgião e pesquisador, professor-doutor de Medicina da Universidade de Nova York, especialista pela American Academy of Anti-Aging Medicine (A4M), durante o VIII Simpósio Internacional de Medicina Antienvelhecimento e o VI Congresso Mundial de Medicina Estética da IAA/ASIME, que aconteceram recentemente no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo.

Como funciona o Optimal Health Program

O tratamento de rejuvenescimento do corpo de dentro para fora começa com a chamada modulação hormonal (suplementação de hormônios e outros nutrientes) visando o nivelamento da idade biológica com a idade cronológica e posteriormente reduz a idade biológica, reposicionando o organismo no auge de seu funcionamento, ali entre os 25 e os 30 anos de idade, não é fantástico? Segue-se então fase de reeducação alimentar e a prática de exercícios físicos. Finalmente, o Skinfitness de reestruturação e rejuvenescimento da pele, com utilização de cosmecêuticos (cosméticos com ação terapêutica) e até cirurgia plástica para correção dos efeitos irreversíveis do tempo.

Endereços

- Evidence Farmácia com Manipulação
Tel.: (85) 3462-6565
www.farmaciaevidence.com.br

- Longevidade Saudável
Tel.: (85) 3246.2126
www.longevidadesaudavel.com.br

- Health Secrets USA
www.healthsecretsusa.com

- Optimal Health Institute USA
www.optimalhealthi.com

terça-feira, 27 de outubro de 2009

2

Anibal Beça x Paes Loureiro


Com certeza o bairrismo, último reduto do medíocre, é um tipo de cancro que só se desenvolve em meio à ignorância e à pobreza de espírito, e delas se nutre.

Há alguns anos o poeta J. J. Paes Loureiro, paraense do município de Abatetuta, preparava-se em Belém, onde reside, para uma permanência de dois dias em Manaus, acompanhando a esposa, Violeta, que participaria de uma banca de doutoramento na Universidade do Estado do Amazonas. E envia e-mail ao velho amigo, o poeta amazonense Anibal Beça, avisando-o de sua chegada.



LICENÇA POÉTICA
(J. J. Paes Loureiro)

“A bênção, poeta Beça
que amigo à beça tu és.
Leva teu barco sem pressa
na crista dessas marés.
Pois Beça contém um B
e não PR de pressa.
Ouvindo-se o som se vê:
melhor que pressa é ter Beça.
O Thiago já me disse
e o Totonho confirmou:
foi leite de lua cheia
que de poesia te engordou!
Preciso de tua licença
poética pra ficar
muito à beça aqui em Manaus,
com teu visto consular.
Manda-me um verso depressa,
faz uma trova voar
e não me venhas com essa,
que estás de pernas pro ar…


E o poeta amazonense responde ao amigo:

ENCONTRO DE ÁGUAS
(Anibal Bessa)
(em resposta às redondilhas do irmão Jota Jota)

Poeta de muitas águas
já respondo bem ligeiro:
na piscina me encontrava
quando te li Paes Loureiro.
Amigo e querido poeta
minha alegria é sem par
licença tu não precisas
nem de visto consular.
Mas já estendo o tapete
tupé trançado de palha
o meu abraço é caboclo
e já estendo a toalha.
Se me leres poderei
convidar-te ao caviar
que aqui é de tambaqui
com pupunha e patauá.
Bem sabes que sou gourmet
atestado por Totonho
e o Thiago suburucu
de paladar tão bisonho.
Pois então por que a espera?
Venha rápido e depressa
tenho muitas figurinhas
para nós rirmos à beça.

O poeta, compositor, jornalista, tradutor, teatrólogo amazonense Anibal Beça faleceu no dia 25 de agosto passado, quando esse blog ainda não existia. Recebeu do poeta Mario Quintana os primeiros ensinamentos e o estímulo para caminhar pelas veredas da poesia. O Cenário Cultural Amazonense perde um de seus maiores artistas populares.
3

Parabéns pra nós!


Hoje atingimos a marca de 2.001 acessos. Nada mal se considerarmos que esse bloguezinho começou há menos de 1 mês, no dia 12.10, dia da criança.

Aproveito para lembrar de um filme que também foi um marco na história do cinema 2001: Uma Odisseia no Espaço, realizado em 1968 pelo cineasta norte americano Stanley Kubrick, e que inaugurou, juntamente com Teorema, também de 1968, de Pier Paolo Pasolini, a era do público-gado, aquele que saía do cinema com cara de quem comeu e não gostou. Para muitos críticos, 2001 é um dos melhores filmes de ficção científica de todos os tempos.

No filme, com uma duração total de 139 minutos e apenas 40 de diálogo, Stanley Kubrick analisa a evolução do Homem, desde os primeiros hominídeos capazes de usar instrumentos, até à era espacial e para além disso. Foi baseado nas obras de Arthur C. Clarke The Sentinel e 2001: A Space Odyssey, esta escrita simultaneamente com as filmagens.

O filme começa com uma sequência de grande plasticidade que vai crescendo em dramaticidade à medida que o volume de Assim Falou Zaratrusta, de Strauss, invade a atmosfera. A imagem de um planeta azul ilumina nossos olhos, um clima de magia e de mistério se instala, é o início de uma das maiores aventuras filosóficas e enigmáticas da história do cinema.

Desenvolvido em tom contemplativo e alternativo, o filme é uma mistura de tecnologia espacial e música clássica. Uma dança rumo ao progresso, um mergulho no desconhecido das origens da humanidade ao futuro metafísico, da imagem do feto pairando na eternidade. Dá uma aula de efeitos visuais, isso tudo bem antes do nascimento dos recursos da computação gráfica. Com cenas psicodélicas como a do túnel de luz e com um final complexo, enigmático e extraordinário, 2001 entrou para o rol dos filmes que revolucionaram o cinema e a ficção-científica.Inesquecível!! Há quem o considere monótono, mas quem ainda não assistiu, corra até a locadora, vale a pena.

Mas acho que os visitantes estão comentando pouco, interagindo pouco. E precisamos dessa participação para irmos adiante, precisamos desse retorno, dessas referências.Acho até que o pessoal de Belém poderia pensar em nos dar a honra de se manifestar. Este espaço é livre, nem moderação de comentários ativamos.

Então vamos lá. Demoro pra entrar na briga mas, se entro, não quero mais sair.:=)

domingo, 25 de outubro de 2009

1

Eva Marie Cassidy


Eva Marie Cassidy (Washington, DC, EUA, 2 de fevereiro de 1963 — Bowie, Maryland, EUA, 2 de novembro de 1996)

Foi uma cantora norte-americana. Embora fosse muito tímida, conquistou reputação local como intérprete de vários estilos musicais: jazz, blues, folk, gospel e pop music. Dona de uma voz de grande expressão e controle interpretava cada canção de maneira única.

Em 1996, ao morrer vítima de câncer, Eva Cassidy ainda era praticamente desconhecida fora de Washington, DC e Maryland.

Mas a morte não encerrou sua trajetória musical. Em resenha sobre o lançamento de seu álbum American Tune, de 2003, o jornal inglês Daily Telegraph se referiu a ela como protagonista da "mais memorável carreira póstuma na história da música pop". (fonte: Wikipedia).

Experimentem ouvir clássicos como LIKE A BRIDGE OVER TROUBLED WATER, IMAGINE, TIME AFTER TIME, E WILD HORSE com ela. É de arrepiar!!!!!!!!!!!!! =)

Discografia:

- The Other Side (1992), com Chuck Brown
- Live At Pearl's (1994)
- Live at Blues Alley (1997)
- Songbird (1998) - compilação de álbuns anteriores - 1º lugar em vendagem na Inglaterra em 2001
- Time After Time (2000)
- No Boundaries (2000)
- Method Actor (2002)
- Imagine (2002) - 1º lugar em vendagem na Inglaterra
- American Tune (2003) - 1º lugar em vendagem na Inglaterra
- Wonderful World (2004) - compilação de faixas de álbuns anteriores - 11º lugar em vendagem na Inglaterra
- Somewhere (2008)

Download Songbird em http://www.mediafire.com/file/xjxh2fdn4wn/Eva%20Cassidy%20%7E%20Songbird%20%281998%29.rar
=)
2

Imunoterapia - Anticorpos monoclonais


Na luta contra o câncer, especialistas empregam atualmente, além das terapias já consagradas, a imunoterapia, processo que consiste em tratar o organismo com medicamentos que resgatem a natural eficiência do sistema imunológico para deter a multiplicação das células malignas.

Modo de ação dos anticorpos Monoclonais
Diferentemente da quimioterapia e da radioterapia, que atuam de maneira menos específica, o objetivo do tratamento com anticorpos monoclonais é o de destruir as células do linfoma não-Hodgkin de modo programado, sem causar dano aos outros tipos de células do corpo.

Os anticorpos monoclonais são a contribuição mais eficaz da biotecnologia e da engenharia genética no arsenal de terapias ja existentes para combater o
câncer.

Todas as células possuem marcadores de proteína em sua superfície, conhecidos como antígenos. Os anticorpos monoclonais são projetados em laboratório para reconhecer especificamente marcadores protéicos especiais na superfície de algumas células de câncer. A seguir, o anticorpo monoclonal “se fecha” sobre essa proteína. Essa ação ou desencadeia um processo de autodestruição da célula ou sinaliza o sistema imune do corpo para atacar e destruir a célula cancerosa.

Por exemplo, o rituximab (conhecido comercialmente como Mabthera), o anticorpo monoclonal usado no tratamento de linfoma não-Hodgkin, reconhece um marcador de proteína chamado de CD20, o qual é encontrado na superfície de células-B anormais existentes em algumas das formas mais comuns do linfoma não-Hodgkin.

Quando o rituximab se fecha sobre o CD20 na superfície de uma célula-B, a célula pode se autodestruir diretamente ou então alertar as defesas naturais do corpo. Rituximab é eficaz na identificação de células do linfoma para serem destruídas pelo sistema imune, permitindo assim que as células cancerosas sejam agora destruídas.

O CD20 também é encontrado na superfície de células-B normais, um dos tipos de glóbulos brancos do sangue em circulação no corpo. Isso significa que essas células-B normais também podem ser destruídas com o uso de rituximab. Entretanto, as células-tronco existentes na medula óssea e que evoluem para células-B não possuem o marcador CD20. em sua superfície.

Assim, as células-tronco não são afetadas pelo rituximab e podem suprir o corpo com células-B sadias. Embora a quantidade de células-B normais e maduras fique temporariamente reduzida pelo tratamento, o volume celular volta ao nível anterior após o tratamento.

O rituximab é utilizado numa politerapia muito eficiente na luta contra os linfomas não-Hodgkin,constituindo um protocolo denominado R-Chop, imunoterapia+quimioterapia.

Existem outras drogas da imunoterapia para outros tipos de câncer e donças e quem quiser se aprofundar na matéria poderá consultar os links disponíveis no blog.T+ =)

sábado, 24 de outubro de 2009

0

Achei o MEU MÉDICO !!!


Dr. Paulo Ubiratan, de Porto Alegre, RS, em entrevista a uma TV local,
foi questionado sobre vários conselhos que sempre nos são dados...

Pergunta: Exercícios cardiovasculares prolongam a vida, é verdade?

Resposta: O seu coração foi feito para bater por uma quantidade de
vezes e só... não desperdice essas batidas em exercícios. Tudo
gasta-se eventualmente. Acelerar seu coração não vai fazer você viver
mais: isso é como dizer que você pode prolongar a vida do seu carro
dirigindo mais depressa. Quer viver mais? Tire uma soneca !!!

P: Devo cortar a carne vermelha e comer mais frutas e vegetais?

R: Você precisa entender a logística da eficiência... .O que a vaca
come? Feno e milho. O que é isso? Vegetal. Então um bife nada mais é
do que um mecanismo eficiente de colocar vegetais no seu sistema.
Precisa de grãos? Coma frango.

P: Devo reduzir o consumo de álcool?


R: De jeito nenhum. Vinho é feito de fruta. Brandy é um vinho
destilado, o que significa que, eles tiram a água da fruta de modo que
vc tire maior proveito dela. Cerveja também é feita de grãos. Pode
entornar!

P: Quais são as vantagens de um programa regular de exercícios?

R: Minha filosofia é: Se não tem dor...tá bom!

P: Frituras são prejudiciais?

R: VOCÊ NÃO ESTÁ ME ESCUTANDO!!! ... Hoje em dia a comida é frita em
óleo vegetal... Na verdade ficam impregnadas de óleo vegetal. Como pode
mais vegetal ser prejudicial para você?

P: Flexões ajudam a reduzir a gordura?

R: Absolutamente não! Exercitar um músculo faz apenas com que ele
aumente de tamanho.

P: Chocolate faz mal?

R: Tá maluco? !!!! Cacau!!!! Outro vegetal!! É uma comida boa pra se
ficar feliz !!!

E lembre-se: A vida não deve ser uma viagem para o túmulo, com a
intenção de chegar lá são e salvo, com um corpo atraente e bem
preservado. Melhor enfiar o pé na jaca - Cerveja em uma mão - tira
gosto na outra - muito sexo e um corpo completamente gasto, totalmente
usado, gritando: VALEU !!! QUE VIAGEM!!!

P S.: SE CAMINHAR FOSSE SAUDÁVEL O CARTEIRO SERIA IMORTAL...!
BALEIA NADA O DIA INTEIRO, SÓ COME PEIXE, SÓ BEBE ÁGUA E É GORDA.....!

LEMBRANDO:
COELHO CORRE, PULA E VIVE 15 ANOS, TARTARUGA NÃO CORRE NÃO FAZ NADA E
VIVE 450 ANOS
0

Parabéns Manaus!


Hoje Manaus, completa 340 anos. É um dia de festa, principalmente o Boi Manaus, sem dúvida a maior manifestação de cultura popular do Estado.

Um pouco de História:

Em 3 de março de 1755 é criada a Capitania de São José do Rio Negro, desmembrada do Estado do Grão-Pará e Maranhão. A nova capitania compreendia territórios hoje equivalentes ao do atual estado de Roraima e parte do do Amazonas. A capital da capitania foi estabelecida na vila de Mariuá, atual Barcelos. Durante alguns anos, de 1792 a 1799, a capital esteve informalmente no Lugar da Barra, a atual Manaus, aonde viria a se instalar oficialmente em 1804.

Com a criação pelo Governo Federal da Zona Franca, no final dos anos 60, o Amazonas pulou rapidamente para a posição de 7º PIB do País e Manaus multiplicou a sua população por seis.

Evidentemente nenhuma cidade está preparada para tal surto de crescimento populacional em um período de tempo tão curto, e isso tem gerado dificuldades as mais variadas, principalmente de ocupação urbana, infraestrutura de transportes, energia, saneamento básico e saúde pública.

Mas uma cidade cujo nome significa "mãe dos deuses", em homenagem à nação indígena dos Manaós, certamente encontrará os melhores caminhos para superar as dificuldades e mostrar ao mundo sua melhor cara como uma das sedes da Copa do Mundo de Futebol em 2014.

Parabéns a todos os que trabalham e produzem aqui.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

0

Quimioterapia


A quimioterapia é o método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos. Quando aplicada ao câncer, é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica. 
O primeiro quimioterápico antineoplásico foi desenvolvido a partir do gás mostarda, usado nas duas Guerras Mundiais como arma química. Após a exposição de soldados, observou-se que eles desenvolveram hipoplasia medular e linfóide, o que levou ao seu uso no tratamento dos linfomas malignos.
Atualmente, quimioterápicos mais ativos e menos tóxicos encontram-se disponíveis para uso na prática clínica. Os avanços verificados nas últimas décadas, na área da quimioterapia antineoplásica, têm facilitado consideravelmente a aplicação de outros tipos de tratamento de câncer e permitido maior número de curas.
Os agentes utilizados no tratamento do câncer afetam tanto as células normais como as neoplásicas (cancerosas), porém eles acarretam maior dano às células malignas (cancerosas) do que às dos tecidos normais, devido às diferenças quantitativas entre os processos metabólicos dessas duas populações celulares. 
Tipos e finalidades da quimioterapia
O uso de drogas isoladas (monoquimioterapia) mostrou-se ineficaz em induzir respostas completas ou parciais significativas, na maioria dos tumores, sendo atualmente de uso muito restrito.
A poliquimioterapia (uso de várias drogas ao mesmo tempo) é de eficácia comprovada e tem como objetivos atingir populações celulares em diferentes fases do ciclo celular, utilizar a ação sinérgica das drogas, diminuir o desenvolvimento de resistência a elas e promover maior resposta por dose administrada.
A quimioterapia pode ser utilizada em combinação com a cirurgia e a radioterapia. De acordo com as suas finalidades, a quimioterapia é classificada em:

• Curativa - quando é usada com o objetivo de se conseguir o controle completo do tumor, como nos casos de doença de Hodgkin, leucemias agudas, carcinomas de testículo, e outros tumores.
• Adjuvante - quando se segue à cirurgia curativa, tendo o objetivo de esterilizar células residuais locais ou circulantes, diminuindo a incidência de metástases à distância.
• Neoadjuvante ou prévia - quando indicada para se obter a redução parcial do tumor, visando a permitir uma complementação terapêutica com a cirurgia e/ou radioterapia.
• Paliativa - não tem finalidade curativa. Usada com a finalidade de melhorar a qualidade da sobrevida do paciente. 
Toxicidade dos quimioterápicos
Os quimioterápicos não atuam exclusivamente sobre as células tumorais. As estruturas normais que se renovam constantemente, como a medula óssea, os pêlos e a mucosa do tubo digestivo, são também atingidas pela ação dos quimioterápicos. No entanto, como as células normais apresentam um tempo de recuperação previsível, ao contrário das células cancerosas, é possível que a quimioterapia seja aplicada repetidamente, desde que observado o intervalo de tempo necessário para a recuperação da medula óssea e da mucosa do tubo digestivo. Por este motivo, a quimioterapia é aplicada em ciclos periódicos. 
Principais drogas utilizadas no tratamento do câncer
Os agentes antineoplásicos mais empregados no tratamento do câncer incluem os alquilantes polifuncionais, os antimetabólitos, os antibióticos antitumorais, os inibidores mitóticos e outros. Novas drogas estão sendo permanentemente isoladas e aplicadas experimentalmente em modelos animais antes de serem usadas no homem.
A cada dia, medicamentos novos são postos à disposição dos oncologistas visando à redução da toxicidade dos quimioterápicos (mesna, por exemplo), à manutenção da quimioterapia (fatores de crescimento hematopoético e antieméticos, por exemplo), e a intensificação dos quimioterápicos (ácido folínico, por exemplo).
O transplante de medula óssea também tem permitido superar o problema da toxicidade hematológica da quimioterapia como fator limitante do tratamento, a par de consitutuir-se ele próprio em um método terapêutico de doenças hematológicas. É preciso salientar, porém, que a maioria desses medicamentos e métodos tem se mostrado inacessível à maioria dos pacientes, mais por seus custos do que por sua disponibilidade(comercial, institucional ou de doadores de órgãos); além do que eles também se acompanham de efeitos tardios ainda não totalmente conhecidos nem bem controlados.
Fonte: Condensado de “Controle do Câncer”: uma proposta de integração ensino-serviço. 2 ed. rev. atual. - Rio de Janeiro: Pro-Onco. 2007.
2

Vinhos auxiliam tratamentos quimioterápicos


O vinho não passa na minha porta sem eu o beber.

Sempre fui apreciador de vinho e cresci ouvindo meu pai, filho de pai e mãe portugueses, anunciar, brincando, o ditado acima toda vez que se preparava para apreciar um ou vários copos de vinho, bebida de sua predileção e que ele não dispensava para acompanhar os pratos da deliciosa cozinha portuguesa, caprichados por minha mãe, Dona Riso.

O problema é que talvez eu tenha sido até aqui um bebedor muito comedido dessa bebida deliciosa. E, convenhamos, ainda considero, pelo menos em questão de enologia, melhor pecar por excesso que por falta. Mas, como diz o povo em sua sabedoria, não tem mal que dure para sempre e isso ainda pode ser remediado. As notícias não poderiam ser melhores. Acompanhem.

A possibilidade de que os antioxidantes presentes no vinho possam prevenir alguns tipos de câncer tem despertado o interesse de muitos pesquisadores em todo o mundo. É que alguns estudos populacionais têm mostrado uma redução da mortalidade por doença coronária e por câncer em bebedores comedidos de vinho. Homens que consomem vinho sensata e regularmente, por exemplo, tem menor chance de desenvolver Linfoma não-Hodgkin(!).

No laboratório de bioquímica e nutrição da Universidade da Borgonha, em Dijon, pesquisadores se debruçam sobre as moléculas do vinho, à procura de novas armas na luta contra o câncer.

Uma célula cancerosa foi tratada em laboratório com uma molécula sintética muita parecida com o resveratrol, que é um dos polifenóis que se acumulam na casca da uva e são liberados no processo de fermentação na fabricação do vinho.

Bem, o estudo ainda está em fase inicial, mas os primeiros resultados já são animadores: mostraram que a quimioterapia, com ajuda do vinho, é mais eficiente. O resveratrol, aquele que já ficou famoso antes por ser associado a um aumento na expectativa de vida, faz o maior revertério e impede a reprodução das células de câncer, desbloqueando sua proteção natural, como se abrisse uma brecha em suas defesas para que o tratamento com a quimioterapia possa entrar.

Os polifenóis, derivados de várias plantas, são os antioxidantes que combatem os radicais livres mais encontrados em nossa dieta. Atualmente, vários estudos têm demonstrado que o resveratrol está associado com os efeitos benéficos do vinho na doença coronária.

O professor Norbert Latruffe, que coordena as pesquisas do laboratório, recomenda para os homens no máximo três taças diárias e, para as mulheres, duas. Sempre durante as refeições para que o álcool seja assimilado mais lentamente e o vinho interaja com os outros alimentos, espalhando seus benefícios.
Bem, amigos, então TIN-TIN! SALUT!

Loura e a Quimioterapia (Que maldade, mas não resisti)

Uma loura e uma morena se encontram após alguns anos. A loura exuberante de bonita e a morena um caco, o cabelo raspado, olheiras, magra e com muitas manchas na pele.
A loura, então, pergunta:
Mas... você sumiu, lindaa! Está tão pálidaa! O que houve, queridaa?
E a morena:
Estou fazendo Quimioterapia!
E a loura:
Que ma-ra-viiii-lhaaa! Na USP ou Faculdade particular ?

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

0

Linfomas e tratamento


A partir de hoje estarei postando alguma informação essencial sobre linfomas e seu tratamento, que basicamente são: quimioterapia, imunoterapia, rádioterapia, cirurgia, paliativos e várias combinações enre eles.A internet está cheia de informação nesse sentido e aqui no blog tem links que poderão ser úteis a quem precisar se aprofundar. O que vou apresentar aqui é um condensado de fontes:ABRALE, INCA e www.linfoma.com.pt.

O QUE É LINFOMA?

Linfoma é um câncer que se origina nas células do sistema linfático. O sistema linfático é responsável pela defesa do organismo contra infecções. Quando o organismo entra em contato com bactérias, vírus, fungos, células anormais, eles passam necessariamente pelo tecido linfático, onde são destruídos pelas células de defesa do sangue, entre elas os linfócitos. Quando um desses linfócitos passa a crescer ou proliferar desordenadamente, sem o estímulo de um invasor, temos o início do Linfoma. Os linfomas podem ter início em qualquer tecido do organismo, mas seu sítio mais comum é nos gânglios linfáticos (ínguas).

SISTEMA LINFÁTICO

É compreendido pelos tecidos linfóides, são eles:

1) Gânglios ou linfonodos: estão presentes em várias regiões do corpo, entre elas: pescoço, axilas, região inguinal (virilha), tórax e abdômen.
2) Tecidos linfóides presentes em todo organismo: estômago, pulmão, pele, sistema nervoso central (cerebro e coluna),etc
3) Vasos linfáticos: região por onde circula a linfa, líquido claro, que contém células chamadas linfócitos.
4) Linfócitos: são células responsáveis pela defesa do organismo contra infecções : bactérias, vírus, fungos. São produzidas na Medula óssea e algumas amadurecem nos gânglios linfàticos. Podem ser do tipo B ou T.

TIPOS DE LINFOMAS

Existem 2 grandes grupos de linfoma, separados de acordo com suas características biológicas:

1) LINFOMA DE HODGKIN:

Este nome é em homenagem ao médico inglês que descreveu a doença em 1832, Sir Thomas Hodgkin
• Localização mais comum é nos linfonodos cervicais
• Acometem os gânglios de forma contígua, ordenada
• Tem grandes chances de cura, quando descobertos em estagios iniciais
• Observa-se a presença, em sua maioria, da célula de Reed-Sternberg. Célula descrita pelos pesquisadores Sternberg (Austria) e Dorothy Reed (EUA), em 1902.
• Acomete principalmente adultos jovens

2) LINFOMA NÃO-HODGKIN:
Grupo heterogêneo de doenças, cada qual com comportamento biológico diferente
• Alguns são curáveis, respondem rapidamente a quimioterapia
• Outros são doenças de controle, com acompanhamento contínuo
• O acometimento é bem variável, sem acometer gânglios contíguos (vizinhos), com doença sistêmica ao diagnóstico.
• Distribuem-se por todas as faixas etárias, com predomínio de diferentes subtipos histológicos nas diversas idades.

Nos próximos posts começaremos a abordar as terapias que constituem os tratamentos.Até lá.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

0

Quimioterapia e atitude


Uma mulher acordou uma manhã após a quimioterapia, olhou no espelho e percebeu que tinha somente três fios de cabelo na cabeça.
“Bom” (ela disse), “acho que vou trançar meus cabelos hoje”.
Assim ela fez e teve um dia maravilhoso.
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e viu que tinha somente dois fios de cabelo na cabeça.
“Hummm (ela disse), acho que vou repartir meu cabelo no meio hoje”.
Assim ela fez e teve um dia magnífico.
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que tinha apenas um fio de cabelo na cabeça.
“Bem” (ela disse), “hoje vou amarrar meu cabelo como um rabo de cavalo”.
Assim ela fez e teve um dia divertido.
No dia seguinte ela acordou, olhou no espelho e percebeu que não havia um único fio de cabelo na cabeça.
“Yeeesss !!!!!...” (ela exclamou), “hoje não tenho que pentear meu cabelo”.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

0

Estadio "Vivaldo Lima" para a copa 2014

Vejam em primeira mão o novo projeto do "Vivaldão" para a copa de 2014 aqui em Manaus.
O projeto do Amazonas como sede da Copa de 2014 está estimando em R$ 6 bilhões de reais. Só não sei ainda qual a fonte dos recursos pra financiar.



Estádio: Vivaldo Lima (Vivaldão), Manaus
Escritório responsável pelo projeto: o alemão Gerkan Marg und Partner (GMP)
Características do projeto: o atual estádio será demolido para dar lugar à nova arena do Vivaldão. O projeto prevê um teto retrátil e a cobertura será feita de forma a simular um cesto de palha e as escamas de répteis para lembrar a fauna amazônica.
Valor estimado da obra: R$ 500 milhões

Atualmente o estádio comporta 38.000 torcedores e após sua demolição e reconstrução a capacidade será ampliada para 46.000. O local será transformado e terá espaço de esporte e lazer além de shopping para compras. A idéia é que o local seja utilizado todos dias da semana, aliando as atividades esportivas e de lazer.

De qualquer lugar da arena o torcedor vai ter excelente visão de todo o gramado, graças à inclinação das arquibancadas. Além disso os arquitetos deixaram a torcida colada no campo de jogo, o que é o mínimo previsto em um estádio moderno.



A cobertura retrátil lembra muito o sistema usado no CommerzBank Arena em Frankfurt, é um grande “Guarda Chuva”. Esse sistema é interessante e tem como principal característica a velocidade de fechamento da cobertura que em menos de 15 minutos cobre todo o gramado.



Do cacete!!!!
1

Como obter medicação de alto custo


“A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”. Art. 196, Constituição Federal Brasileira.

O Ministério da Saúde já desenvolve alguns programas, diretamente ou através de parcerias com os estados e municípios para distribuição de medicamentos de alto custo como os destinados ao tratamento do câncer e da Aids. Além da distribuição nacional de vacinas e outros imunobiológicos.

Cabe aos estados a aquisição e a distribuição dos medicamentos excepcionais ou de alto custo, e ao Ministério da Saúde, através de um sistema informatizado de comprovação da aquisição e distribuição, reembolsar os recursos aos estados. Além disso, os estados também participam diretamente, com uma contrapartida de valor variável, conforme os produtos adquiridos.

Está incluída nesse co-financiamento a compra de medicamentos que possuem um custo muito alto e são usados para o tratamento de doenças complexas congênitas (de nascença) ou adquiridas, que inclui, por exemplo, medicamentos para pessoas que fizeram transplante, que sofrem de insuficiência renal crônica, hepatite crônica e esclerose múltipla.

Importante: o paciente só pode ter acesso aos medicamentos, na unidade de saúde do seu município, se o médico receitá-los em uma consulta e estiver sendo atendido pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Estamos à disposição, nos comentários, para qualquer informação complementar.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

5

Dyá, Sayonara Daniel(zinho)



A propósito de seu comentário no blog, do outro lado do mundo:

Conheci na vida poucos como você, que perseguem seus sonhos com tamanha obstinação a lugares tão distantes e tão além das limitações que a nossa materialidade possa nos impor.

Contudo me parece que para os ainda jovens isso constitui a contrapartida da aventura, um elemento a mais, romanesco no conjunto de desafios a enfrentar e a superar. Esse sempre foi, com efeito, o meu estado de espírito.

O mais curioso é que tenhamos começado, cada um seguindo o seu caminho e premido por circunstâncias bem diferentes – eu não tive escolha – e quase ao mesmo tempo, uma nova luta na vida. Se a luta se impõe, então vamos a ela!

Nós é que nos orgulhamos de você.

Afinal, estudar Semiótica, matéria conceitual, abstrata, uma verdadeira pedreira que mistura os fundamentos da ciência cognitiva, lingüística, arte, ciência, epistemologia, entre outras, num conjunto hermético e harmonioso para constituir uma ciência, e ainda por cima em japonês... Só para os idealistas vibrantes, gente brilhante e que cultiva a simplicidade e o desapego, como você.

E, antes de tudo, bom filho, bom neto, bom irmão, amigo dos migos.Faz falta. Muita.

Eu, por exemplo, que, se de alguma maneira, no passado, cheguei a influir minimamente na escolha dessa matéria como seu objeto de estudos superiores, muitas vezes me vi obtuso diante dos conceitos de sua mestra e orientadora Santaella, muitas vezes compreendidos apenas (e a duras penas) depois de releituras e releituras.

Sua brilhante tese de mestrado na PUC, agraciada com louvor com o grau máximo, é uma demonstração da sua capacidade cognitiva superior e também uma aula de método e disciplina investigativa obre o Pensamento e as relações do Homem com o Homem, do Homem com Meio. Tem profundidade histórica e dialética.

Desculpe se apenas agora te dou uma opinião mais formal, sempre me cobraste algo além dos adjetivos. Mas agora, que estás tão longe da família, acho que essas palavras têm mais significância e calor.

Finalmente, permita-me que te diga, no país do ícone e do ideograma onde vives, fique bem atento, meu filho, aos sinais da vida, aos sinais adventícios, aqueles que marcam a própria existência da gente, o passar pelo mundo, as estações da vida.

E “... que fique claro que nossas reações à realidade, interações vivas e físicas com as materialidades das coisas e do outro, já se constituem em respostas sígnicas ao mundo, marcas materiais perceptíveis em maior ou menor grau que nosso existir histórico e social, circunstancial e singular vai deixando como pegadas, rastros de nossa existência”.

Um beijo, Guimarães Sam, torcemos por você.

domingo, 18 de outubro de 2009

0

Gene Wilder


Todos os que me conhecem melhor sabem da minha admiração, idolatria mesmo pelo genial ator comediante Gene Wilder. Ninguém consegue como ele transformar uma pequena idéia em algo desproporcionalmente, abismalmente divertido e original. Personagem singular da comédia americana, seu inigualável senso irônico associado a um timing perfeito fizeram dele um favorito entre os aficionados da comédia em todo o mundo.

E, vejam só, coincidência das coincidências, nasceu, como eu, no dia 11 de junho , ele em 1933, Milwaukee, eu em 1953, em Icoaraci. (rsrsr)

Casou-se com Gilda Radner, atriz por quem era apaixonado, que morreu de câncer, aos 42 anos em 1989. Ela ajudou a aumentar a consciência pública da doença e a necessidade de detecção precoce e tratamento. Gene surtou e parou com o cinema. Gilda desenvolvera uma relação de ódio com Gene na sua fase terminal, tinha palavras de carinho para com todas as pessoas, beijava qualquer estranho que aparecesse em seu quarto no hospital, mas mudava completamente quando ficava sozinha com Gene, por quem não admitia sequer ser tocada.

Desde então ele tem se dedicado à carreira de escritor. No livro lançado em 2005 - Kiss Me Like A Stranger, Gene exorciza essas lembranças.

Atuou em vários filmes e com grandes atores, como Harrison Ford em O Rabino e O Pistoleiro, e como Willy Wonka, na primeira versão do A Fantástica Fábrica de Chocolate, em (1971), dirigido por Mel Stuart e que se transformou num dos maiores clássicos da Sessão da Tarde.

Recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por sua atuação no filme Primavera Para Hitler, em 1969 e de Melhor Roteiro Adaptado por O Jovem Frankenstein, em 1975.

Como diretor seguiu a vertente de Mel Brooks, parodiando gêneros clássicos. Ficou conhecido também por atuar em parceria em algumas comédias com o comediante Richard Pryor.

Em abril de 2008, lançou em Nova York o livro The Woman Who Wouldn't, que traz a fictícia história do violinista Jeremy, que no início do século XX faz tudo para conquistar uma mulher.

Com o mesmo penteado, mas bem envelhecido, ele não planeja voltar às telonas. "Os scripts que recebo são na maioria bobagens que os produtores pensam que posso transformar em algo engraçado. Não posso", afirma.

Diagnosticado com um linfoma não-Hodgkin, (outra coincidência entre nós) em 1999, uma década depois de ter perdido a mulher Gilda Radner para um câncer de ovário, encontra-se em remissão desde 2000, no que espero que seja outra coincidência duradoura entre nós.
Mais informações em:
http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&langpair=en|pt&u=http://en.wikipedia.org/wiki/Gene_Wilder&prev=/translate_s%3Fhl%3Dpt-BR%26q%3Dgene%2Bwilder%26tq%3DGene%2BWilder%26sl%3Dpt%26tl%3Den

sábado, 17 de outubro de 2009

1

Tentação






Achille Talon, criado por Greg em 1963
Tentação é o sentimento que alguém tem quando deseja tomar uma atitude que contraria seus valores e crenças.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

1

Tabaco ? Quem diria.

Estudo cria vacina contra câncer a partir de planta do tabaco
22 de julho de 2008 • 06h12 • atualizado às 09h07

* Notícias

Da BBC Brasil

São Paulo

A planta do tabaco, matéria-prima da substância responsável por milhões de casos de câncer, pode oferecer uma vacina para tratar uma das formas da doença, sugere um estudo da Universidade de Stanford, no Estado americano da Califórnia.

Os pesquisadores usaram a planta para como "fábrica", ou incubadora de um anticorpo químico capaz de combater linfoma folicular de célula-B, um tipo de câncer do grupo de linfomas não-Hodgkin.

As células deste tipo de câncer possuem uma característica peculiar: se reproduzem criando clones idênticos que carregam o mesmo anticorpo na sua superfície exterior. Essa "marca" é peculiar a este tipo de câncer e não é encontrada em células saudáveis.

A estratégia da vacina criada a partir da folha do tabaco é injetar os anticorpos do câncer no paciente diagnosticado com a doença, estimulando o seu sistema imunológico para reconhecer e destruir as células do linfoma.

A vacina está na fase inicial de testes e foi utilizada em apenas 16 pacientes para testar os efeitos colaterais dos anticorpos produzidos pelas plantas. O resultado da primeira fase foi publicado nesta semana na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences

Fábrica:

Para fazer a planta produzir a vacina, os cientistas isolam a célula cancerígena do paciente em laboratório, extraem o gene responsável pela produção do anticorpo e o injetam no chamado "vírus do mosaico do tabaco" - um parasita que ataca as células das plantas e se reproduz rapidamente.

Os cientistas então infectam a planta com o vírus e as células afetadas começam a produzir grandes quantidades do anticorpo. Depois de alguns dias, os anticorpos são extraídos das folhas do tabaco e injetados no paciente.

Segundo os pesquisadores, são necessárias apenas algumas plantas para produzir a quantidade de vacina necessária para tratar um paciente. No entanto, cada pessoa produz um tipo diferente de anticorpo e, por isso, cada paciente precisaria de uma vacina personalizada.

De acordo com o estudo, o processo de produção da vacina em plantas é vantajoso porque não sai caro e é rápido. "É uma tecnologia bem bacana e é muito irônico um tratamento para câncer feito com base em tabaco. Isso me chamou a atenção", disse Ronald Levy, que lidera a equipe de cientistas.

Para o professor Charles Arntzen, da Universidade do Arizona, a velocidade do processo de produção da vacina poderia levar os pacientes a esperar por sua vacina personalizada em vez de tentar outro tipo de tratamento.

Um porta-voz da Cancer Research UK, entidade beneficente britânica de fomento a pesquisas sobre câncer, afirmou que são necessárias mais pesquisas para avaliar o efeito real da vacina.

"Enquanto esses resultados são potencialmente muito empolgantes, os testes foram feitos em pequena escala, estão em estágio inicial e não avaliaram se a vacina realmente reduz o tamanho dos tumores", afirmou o porta-voz.

"Esse estudo oferece uma boa base, mas uma pesquisa maior será necessária para testar o sucesso dos anticorpos produzidos pelas plantas em combater o linfoma não-Hodgkin", concluiu.
video

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

1

Final feliz




Em janeiro de 2006 eu estava com um caroço em cima do seio direito, mais ou menos do tamanho de uma azeitona. Não dei muita atenção, e em um fim de semana sai com uns amigos, e senti uma forte dor que se estendia para o meu braço direito. A dor não passava, então resolvi ir ao hospital do convênio com a minha cunhada.

O médico da emergência nem me examinou direito, só passou um analgésico e me mandou procurar um mastologista. O mastologista disse que estava tudo normal com meus seios, e que eu deveria procurar um traumatologista. Ao ser examinada pelo traumatologista, ele disse que não era nada de grave, que achava se tratar de um calo ósseo. Mesmo assim, o traumatologista pediu um raio-x e um ultra-som.

Como ele falou que era um calo ósseo, eu não dei muita atenção. Passou o mês de janeiro, fevereiro, e quando me olhei novamente no espelho, o caroço, que era do tamanho de uma azeitona, estava mais ou menos do tamanho de um caroço de abacate. Eu peguei a requisição do médico e fui urgente fazer os exames pedidos. Ao sair o resultado, o médico estava sem vaga para mim, então eu procurei um outro traumatologista. Em 10 de fevereiro o traumatologista me examinou e ficou assustado com o que via. Na mesma hora o médico ligou para um amigo dele cirurgião torácico e me encaminhou para ele.

Eu fui ao outro médico que tornou a me examinar e a me fazer milhares de perguntas. Por sorte do destino esse médico era amigo do meu pai, que é médico também, e no dia seguinte, sábado, marcou uma tomografia às 7 horas da manhã em um hospital aqui de Belém, e pediu para que meu pai viesse. Nossa, minha cabeça começou a pensar mil coisas.

No dia seguinte, sábado, estávamos lá papai, mamãe e eu. Entrei na sala e depois de alguns minutos vi meu pai balançando a cabeça com um sinal de negativo, então as lágrimas em meu rosto não conseguiram mais parar de sair. Quando terminei o exame ninguém quis me falar nada, e uma biópsia foi marcada para segunda-feira, dia 13 de fevereiro. Na segunda-feira, enquanto estava esperando o leito ser liberado pelo plano, dormi no carro e escutei o meu pai conversando com um outro amigo dele, e o ouvi dizer: “O dr. falou que a minha filha tinha uma massa suspeita”.

Meu Deus, o meu mundo tinha acabado. Fui atrás da mamãe e segurava bem forte na mão dela e dizia: “Mãe eu não quero morrer, não me deixa morrer, por favor”. Depois de um tempo estava mais calma, e fui para o quarto do hospital esperar para ser chamada para a cirurgia.

Nesse espera-espera o meu pai falou com o anestesista e com um cirurgião para perguntar o que eles achavam. Um falou que eu já tinha metástase e outro me deu cinco anos de vida. Meu pai ficou doido, e disse que ninguém ia tocar na filha dele, já que eu ia morrer.

Quando nós achávamos que nada mais poderia ser feito, Deus, como sempre nos surpreendendo, mandou um anjo que nos guiar para o caminho certo. Minha prima de Macapá, que é hematologista, ligou para conversar com meu pai. Com muita lábia ela conseguiu mudar a cabeça do meu pai e da minha mãe ao dizer que não era o que eles estavam pensando, que tinha cura. Na mesma hora ela ligou para um amigo em São Paulo e disse o que estava acontecendo, e ele já reservou um leito que conseguiu no Hospital Brigadeiro.

Antes de ir embora recebi um presente do meu tio, a imagem de Santa Rita de Cássia, a qual eu nunca mais me saparei. Fui embora da minha cidade com a incerteza se um dia eu voltaria para ver minha família, namorado e amigos.

Ao chegar a São Paulo fui muito bem recebida pelos médicos do Hospital Brigadeiro, e em sete dias que estava na cidade consegui uma vaga no Hospital das Clinicas, onde eu fui operada para realizar a biópsia. Depois de uma semana veio o resultado. O dr. Fausto ligou para o meu pai e contou que eu tinha linfoma não-Hodgkin de células B grandes.

Na hora ficamos arrasados, mas depois de muita conversa com o dr. Fausto levantamos a cabeça e fomos na igreja perto de casa em São Paulo, que por coincidência tem a imagem de Nossa senhora de Nazaré, e agradecemos a Deus por eu ter uma doença que tinha cura.

Em 9 de março começou minha guerra contra essa doença maldita. Fiz seis aplicações de quimioterapia (CHOP + MARBHTERA) de 21 em 21 dias. Após dez dias da minha primeira quimioterapia meu cabelo já começou a cair. Se eu falar que isso não me deixou mal eu estarei mentindo, fiquei muito triste, mas resolvi levantar a cabeça e tentar encarar com cabeça erguida, e assim foi.

Depois da terceira aplicação de quimioterapia fiz uma nova tomografia e o resultado foi inédito: 99% do tumor havia sumido. Eu fiz as outras quimioterapias restantes e novamente uma nova tomografia foi realizada, e agora o melhor de tudo: o tumor tinha sumido todo.

Eu estava novamente limpa. Os cinco anos de vida que tinham me dado se tornaram cinco de tratamento, e hoje, em setembro de 2006, eu estou ótima e vivendo a minha vida novamente.

Estou escrevendo este testemunho na minha cidade, rodeada pelos amigos, familiares e o meu namorado que segurou a minha mão e não largou mais. O meu cabelo está crescendo, e ainda vou fazer vinte aplicações de radioterapia, mas por precaução.

Aprendi que nunca devemos nos deixar abater por qualquer doença, por mais agressiva que ela seja. Também aprendi a dar valor nas coisas mais simples da vida, que antes eram coisas imperceptíveis para mim. Somente diante de grandes dificuldades, quando pensamos que não podemos mais seguir em frente, é quando encontramos forças para superar todos os males que vieram e que virão. E isso mostra o que há de melhor em nós: a força de superar a tudo e a todos.

Aprendi também que não vale a pena pensar no que não tenho e no que gostaria de ter, mas em como posso ser feliz com o que possuo. O maior bem que possuo é a minha própria vida que recebi de volta.

Não poderia deixar de agradecer aos meus pais que estavam comigo a cada exame, a cada resultado recebido, e a cada aplicação de quimioterapia, e por terem acreditado que eu ia conseguir vencer mais uma. Agradeço as mensagens, as cartas e os telefonemas que recebi durante esse período de minha vida, a meus amigos que rezavam por mim, e a Santa Rita por te intercedido por mim a todo instante.

Depoimento escrito por Kaynara Machado Campos, paciente de linfoma não-Hodgkin.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

1

O Glamur e os Números




A participação ultimamente na chamada grande mídia (eu disse mídia no lugar de imprensa?) de vários astros populares portadores de câncer, principalmente os ditos "globais", como Patrícia Pilar, Gloria Perez, Ana Maria Brega e por último a pavoneante, quem diria, Ministra Dilma (linfoma) Rousself, tem de alguma forma contribuído para diminuir o sentimento negativo que as pessoas têm à simples menção da palavra que denomina a doença. Cabeças peladas, lindas maquiagens déjà vu realçando os olhos e excelentes prognósticos oncológicos parecem funcionar como uma combinação diferente pra anabolizar níveis de audiência e de popularidade, inclusive eleitoral. Quem não se lembra da participação de Patrícia Pilar na campanha do marido à Presidência da República? Afinal o câncer de mama é o de melhor prognóstico se detectado precocemente.
Excluo deste contexto o vice José Alencar, figura simples e exemplar no trato com a doença, a qual é o principal motivo pela sua longevidade na mídia - permanece vivo –sem a manipular.
Mas isso tudo também tem outro lado, o estatístico, o numeralógico, o factual que expõe a realidade imparcial, não tão glamurosa quanto poderiam numa primeira análise sugerir as aparências, o momento. Patrick Swayze teve um prognóstico de 20 meses. 20 meses!!
No Brasil, as estimativas para o ano de 2008 e válidas também para o ano de 2009, apontam que ocorrerão 466.730 casos novos de câncer e somente no ano de 2002, conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), mais de 3,2 mil pessoas morreram por causa da doença.

Deixo claro que não estou criticando a postura pública de ninguém. A reação a esse tipo de estímulo depende mais da pessoa que o recebe, seu grau de instrução, informação e experiência.
O chamado curso clínico de cada caso da doença depende de uma infinidade de fatores que, em conjunto, vão definir o prognóstico (a expectativa de vida ou sobrevida expressa em IPI, que é um índice internacional de prognósticos)para um dado paciente em particular. Assim, hoje em dia já se tem uma massa acumulada de informações sobre o comportamento clínico de cada tipo de tumor (de mama, de pulmão, de próstata, de rins, etc) e quais as probabilidades dele recidir (voltar), quanto tempo levaria pra isso acontecer e como seria essa recidiva que, normalmente, é fatal. A questão é quanto tempo se deve esperar para poder considerar um paciente realmente curado.
Dependendo do tipo de Câncer 5, 7, ou até 10 anos, como na maioria dos casos de linfoma.
Finais felizes e curas completas não são impossíveis, mas a experiência tem demonstrado que não é tão fácil assim. Infelizmente. Linfoma é câncer. Informação é vida.
0

Dos amigos e da solidariedade



A solidariedade humana, a simpatia, a amizade são modalidades de energia poderosas. Tenho experimentado muito isso ultimamente da família e de amigos e me surpreendo ao ver como essas manifestações podem vir de onde as vezes menos se espera. Não é obviamente o caso deste post.

Muitos tentam, inclusive, efetivar de alguma maneira o seu gesto, indo além das palavras de conforto.

Transcrevo abaixo um testemunho do que digo, que recebi por email de um colega que é um profissional brilhante, um exemplo de pai e amigo como só ele sabe ser. Aquela pessoa que vale a pena ter conhecido, que faz a diferença.Obrigado.

Meu querido e grande amigo Daniel,
Afinal, o que realmente está ocorrendo?
Vc está doente mesmo?
Olha, amigo, há cerca de três anos estive em coma por sete dias no hospital de Taguatinga-DF e durante a ausência do corpo eu cheguei a ouvir dos médicos que o meu câncer de pulmão já estava avançado e que eu teria que ser removido para o hospital de base em Brasília para o tratamento quimioterápico. Cheguei a ver as lágrimas rolarem do rosto do meu pai (hoje com 89 anos) e pressentir que de fato eu estava com uma doença grave. Mas o tempo passou e hoje percebo que de fato se eu estivesse com câncer eu já teria partido desta para melhor, ou seja, eu já teria desencarnado. Mas Deus me deu a oportunidade de continuar aqui na terra, onde tive oportunidade de conhecer novos amigos e me fortalecer na minha jornada. Informo a ti que agradeço a Deus por isto, principalmente por ter me dado a oportunidade de te conhecer. Quando falo conhecer é conhecer de verdade, pois o estimo muito e quero muito o seu bem. Tanto quero que te digo que se vc esta doente é pq Deus quis que isso ocorresse, pois esta é mais uma prova que vc terá de passar aqui nesta viagem que embarcamos juntos aqui na terra.
Fique com Deus e continue iluminado como vc sempre foi.
Um grande abraço,
Tião


Oi Daniel,
Não sei se isto ajuda, mas tenho um sobrinho que é médico no Hospital do Câncer em Barretos e tenho certeza que se vc quiser ir até lá, certamente ele o receberá de braços abertos e quem sabe pode ajudar de alguma forma na realização do seu tratamento.
Valeu,
Sebastião

terça-feira, 13 de outubro de 2009

1

Datas, fatos esparsos e ultrassonografia

Nunca fui muito bom com as datas, com o TEMPO como unidade de medida a circunstanciar, marcar os eventos na minha vida. As mulheres me parecem bem mais aptas.

O meu aparelho digestivo também nunca foi dos melhores. Nesses últimos 40 anos perdi a conta dos episódios de azia, má digestão, prisão de ventre e tudo quanto é tipo de mazela gastrointestinal que se possa imaginar.

Para se ter uma idéia, no ano de 2007, morando só em uma pequena kitnet, tive uma crise de diarreia tão persistente que durava praticamente o dia todo e se prolongou por cerca de um mês. Amigos,acreditem,eu tava sumindo...

Restringi ainda mais minha dieta, sobre a qual exercia um controle rigoroso e
comecei a tomar soro reidratante. Em dois dias as coisas voltaram ao normal, ou algo parecido. Não me lembro se então já vinha tendo as febrícolas e os suores noturnos abundantes que Sandra foi a primeira a perceber e estranhar.Provavelmente, sim. Mas as manchas vermelhas, sanguíneas nas palmas das mãos já estavam lá.

Mas...por que não consultar um médico? Bem, eis outro problema que sempre tive.

Não fui a um gastro mas cheguei a consultar um dermatologista. Ele me passou um creme pra passar antes de dormir, nas mãos. É claro que, sendo algo de natureza sistêmica, como depois descobri, as manchas não sumiram.

Recentemente, o Google me deu a resposta: isso é sintoma de linfoma. E isso mostra o quanto os nossos médicos ainda estão despreparados pra enfrentar esse tipo de problema.Os especialistas se esquecem da importância de trabalhar nas interfácies entre sua especialidade e as demais, desconsiderando o aspécto holístico e integral do corpo humano, do ser humano,a interdependência entre os vários órgãos e sistemas.

Mas esse é um assunto que pode render muito, e podemos explorá-lo depois.

Bem,em meados de julho, diante de um quadro persistente e continuado de leves cólicas abdominais, a contragosto concordei com Sandra em fazer uma ultra do abdomen.

Saímos no início da tarde.Pra começar, o cartão do meu plano de saude não passou no sistema do laboratório. Fomos até o escritório da Unimed, onde fiquei sabendo que ele estava cancelado há pouco mais de um mês, e que, portanto, eu havia perdido o prazo para reativá-lo sem ter que passar por um período de carência de três mêses.Prefiro omitir os detalhes envolvidos nisso tudo.

A verdade é que eu sou tão nulo que consegui ficar sem plano de saúde, mesmo tendo dois convênios à minha disposição pelo órgão em que trabalho, GEAP-Saúde e Unimed.

Eu já queria aproveitar pra recuar mas Sandra não desiste facil:-Vamos fazer particular, então!

Queria que vocês vissem a cara de susto do médico diante da massa que se apresentava no seu monitor. Visivelmente assustado, me encaminhou direto pra tomografia.Certamente queria mais certeza sobre o seu "achado" e dividir com mais alguém a responsabilidade de redigir um laudo que se configurava tão adverso.Chegou mesmo a dizer à Sandra que se tratava de um "câncer de cauda", de pâncreas.Imaginem o terror que isso não deve ter lhe causado.

Deitado no tomógrafo perdi a noção do tempo em que os médicos ficaram confabulando diante das imagens que viam.Depois de uma eternidade um deles veio me ajudar a levantar do aparelho, muito formal e me olhando da maneira mais estranha que um estranho jamais havia me olhado.
Eu nem sentia mais o chão, tava meio tonto, com a boca seca e sem força nas mãos. Uma solidão absoluta. Pra complicar não sabia onde Sandra estava.Acho que deve ter ido chorar longe pra não me deixar perceber.
Ao passar por mim no corredor onde me deixaram aguardando,o ultrssonografista olhou pro outro lado, evitando o meu olhar.

Então eu pensei que dessa vez a coisa tava mesmo preta.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

6

Decisão

Boa Tarde!
Devo confessar que ainda não sei bem ao certo o que estou fazendo aqui. Não é muito algo da minha natureza falar de mim mesmo.

A ideia inicial seria poder trocar experiências úteis entre pessoas que, como eu, passam por problema de saúde semelhante num contexto sociocultural ainda muito restritivo para portadores de câncer.

Mas muito progresso já se conseguiu na luta histórica contra a doença, na terapêutica, nas relações humanas e sociais, até nas políticas públicas de saúde. E acho que a dialética se desenvolve nitidamente no sentido da solução dentro da próxima década, na continuidade das pesquisas com a engenharia genética, com as células tronco e com os avanços da biotecnologia.


Pensei também que aqui poderia atualizar minha família e amigos sobre o andamento de meu tratamento e sobre os rounds de minha luta pela cura.

É tudo incrivelmente novo pra mim. Tudo mudou muito rápido depois do diagnóstico do que seria apenas uma ultrassonografia de rotina, mas eu estou me adaptando devagar a esta vida ainda restrita, limitada, para a qual, aos poucos, à medida em que tomo consciência de minhas novas limitações, sinto que conseguirei encontrar os meios de conduzir o mais normal possível, enquanto for possível.

Gostaria de receber algum eco destas humildes postagens, algum retorno nos comentários. Usem, amigos, este espaço, da maneira que acharem melhor, validando-o com a participação de vocês.

Bem, sejam muito bem-vindos e vejam alguns comentários de pessoas no momento em que foram diagnosticadas:


→ “Digamos que não seja nada simples descobrir que se tem essa doença tão temida. Não gosto de pronunciar o nome, costumo dizer que estou (ESTOU - este verbo está sendo usado no sentido temporário, se é que esse tempo verbal existe!) com um tumor maligno, ou então um carcinoma ductal invasivo na mama esquerda.” (Rubia Raquel) http://comotenhopassado.blogspot.com/

→ “Há cerca de dois meses descobri que tenho um "Linfoma difuso de grandes células B" - um câncer (pois é assusta na primeira vez que se ouve)...
Foi um choque pra minha família...afinal pensamos não ser nada mais do que uma gripe mal tratada...o sintoma mais evidente era a tosse...e depois veio uma coceira insuportável...
Eu meio que esperava uma notícia de um tumor, ou um câncer mesmo...porque não?! Afinal assim que vi minha radiografia, percebi (com a ajuda do médico) que era uma massa razoavelmente grande no meu tórax...não seria somente catarro ou algo assim...fiquei já aguardando a o resultado que seria, até hoje, o que mudaria minha vida (por um tempo)...” (

http://linfomaniaco.blogspot.com/

→ “Para nossa surpresa mais dele que minha, foi possível identificar uma massa entre os dois pulmões e coração medindo 14 cm.
Dentre os diagnósticos prováveis estavam: sarcoidose e linfoma.
É claro que se imaginar que tem algo e ter certeza faz uma grande diferença. Entrei em pânico, na verdade foram as poucas vezes que realmente fiquei sem chão.” (Nelson Buis Sonntag) http://nelsoncontraocancer.blogspot.com

“Fui buscar o laudo completo para ela ler. Ela pegou os papéis, olhou pra mim e disse:
-Mudou tudo, vem aqui.
E mudou mesmo. Era realmente grau III, mas com evolução para linfoma não hodgkin de grandes células B difuso, que precisa de tratamento.” (Adri)

http://eueolinfoma.blogspot.com/

“Não consegui dizer nada, estava perdida, como se estivesse muito distante dali e a ouvir ao longe. Ela continuou a falar:
- É um linfoma de hodgkin o que quer dizer que dentro de todo o mal há algo de bom. As perspectivas de cura são muito boas, de 80% ,mas vais ter de fazer quimioterapia e quem sabe radioterapia. Como deves saber a quimioterapia tens alguns efeitos secundários. Um deles é o facto de cair o cabelo…” (Dina Lopes)

http://vivercomumlinfoma.blogspot.com/