sábado, 12 de dezembro de 2009

5

Caeci sunt oculi, si animus alias res agit


"Os olhos são cegos, se o espírito se ocupa de outras coisas".

Como declarei no meu primeiro post aqui, sou um desses tipos meio travados, bobos para falar de si mesmos. Minha proposta inicial no blog era disponibilizar informações sobre a evolução de meu tratamento de forma a manter amigos, parentes distantes e interessados comodamente a par do meu estado de saúde. 

Aproveitaria também da versatilidade e capilaridade do espaço criado para tentar prestar algum tipo de serviço que fosse de alguma utilidade - algo talvez como uma súmula atualizada de pesquisas sobre matérias relevantes - aos que passam, passaram recentemente ou assistem a outras pessoas que passam por problema de saúde parecido com o meu.  

E acho até que de alguma forma, discretamente, minimalista, essencial, venho ultimamente até conseguindo fazer isto – é tudo tão recente – na medida de minhas óbvias limitações e na razão em que os acontecimentos que fogem do trivial da rotina do meu tratamento se insurgem contra a minha resistência em falar de meu umbigo, e que as pessoas começam a acessar o blog mais intensamente, nessa rede de solidariedade que a minha mais recente necessidade de empatia me revelou como a faceta mais bela, mais humanizada da www, da Grande Rede Mundial de Computadores.
Confesso que não seria capaz, nem gostaria - nem seria interessante - de ocupar todo o espaço do blog a falar exclusivamente de minúcias técnicas de meu tratamento, de protocolos adotados, drogas antineoplásicas, hemogramas, tomografias, definições da doença ou outras coisas no gênero. Isso o tornaria muito limitado em relação aos acessos que poderia ter se diversificasse sua linha de assuntos para abranger um público maior, cujo interesse recaísse direta ou incidentalmente sobre o assunto do câncer, tudo bem, mas sem perder, no entanto, de vista, o foco original, essencial da existência - a Saúde, mas, sobretudo, a Vida e o Bem Viver.
Preferi então deixar as definições e as longas dissertações técnicas para os sites especializados que selecionei - lincados no sidebar - onde certamente estes assuntos da oncologia serão tratados com mais propriedade e profundidade. Decidi também, sempre que possível e no interesse do leitor, dar a este a opção - através de links diretos no corpo do texto – de acessar os sites onde determinado verbete ou assunto em pauta certamente será tratado com mais espaço e mais adequadamente. 
E, afinal, desculpem-me o trocadilho, ficar tratando o tempo todo de doença acabaria sendo meio... doentil, n'est pas?
Tenho então optado por dar mais espaço às matérias que versam sobre tratamentos alternativos e sobre os avanços nas pesquisas científicas na cura do câncer, como nos posts Açaí pode combater células do câncer , Vinho ou açaí? Depende... , Vinhos auxiliam tratamentos quimioterápicos  e Chá verde pode bloquear ação da quimioterapia, para citar alguns.
Procurei privilegiar também as matérias de cunho informativo e noticioso, como nos posts Medicação e exames de alto custo no SUS  onde conto a história recente do jovem empresário que acabou morrendo sem obter a medicação de alto custo de que necessitava e no post que considero de utilidade pública, Remédio contra câncer só na justiça onde são detalhados os trâmites a seguir em caso da necessidade de se recorrer à justiça, através do Ministério Público, para se conseguir rapidamente o acesso a medicação de alto custo.
De resto, como moro na Amazônia e sou apaixonado pela natureza e por essa região singularíssima do Planeta onde a biodiversidade e os adjetivos pululam – a qual tenho o privilégio de conhecer nada mal principalmente devido ao exercício da minha profissão há três décadas nela -, não tenho resistido à tentação de postar algumas belas fotos de paisagens aqui e ali, tiradas por mim, por amigos. 

Acredito que seja esta uma forma simpática de compartilhar as belezas naturais da região com os leitores das outras regiões e estrangeiros, principalmente os da Europa, que sempre nos honram com suas visitas (incluindo os portugueses tão queridos, puta saudade de Guimarães e do bacalhau d”A Curva do Filho do Zé da Nora”). 

E de, ao mesmo tempo e de quebra, temperar, fazer deste um momento de descontração, de magia talvez até dissipativa das preocupações latentes, de vôo salutar do pensamento, do espírito, livre para onde doenças até nem existam, longe das limitações do espaço-tempo, da matéria, das agulhas, das drogas e dos insuportáveis efeitos colaterais. Afinal, “navegar é preciso”, isnt'it ? Na net, na imaginação poderosa e libertadora. No pensamento.
Essa coisa bonita, sublime, essa irmanação (irmana-ação), essa irradiação de energia amorosa em megabytes por segundo, extensão da energia do pensamento, essa solidariedade quase anônima, comovente e despojada que nos une pelo coração, pela tecnologia e pela adversidade superando distâncias oceânicas e diferenças culturais, unindo regiões e continentes tão distantes para trocar sorrisos e lágrimas, para superar estas mesmas adversidades - tão humanas - não se pode limitar apenas aos assuntos relativos à saúde e à doença, que nada mais são que meros atributos de nossa condição existencialista meramente material.
A Vida está lá fora e vibra também aqui, dentro de nós, no pulsar de nossos corações, de nossas veias que estendemos para a dor da agulhada e a remissão esperada da quimioterapia. Mas também, e talvez, sobretudo, no nosso senso estético, poético, na nossa capacidade humana de distinguir entre o bem e o mal, o bom e o ruim, a bela e a fera, entre Eros e Tanathos e todas as nuances e tons e semitons quase infinitos em número,  matizes, não-maniqueístas, aprisionados, anônimos no intervalo entre estes extremos.
Penso que por isso temos sempre que ter em mente, mesmo em se tratando de um simples resfriado ou dor de barriga que não somos doentes e, sim, que apenas estamos doentes, que isso tudo é provisório, circunstancial, eventual como e quanto nossa língua portuguesa nos permite distinguir tão bem entre o ser e o estar. E que a cura é só uma questão de tempo, de intensidade da força positiva da mente sobre a matéria - de , se preferirem. 

E que rir de uma tira da Mafalda, com toda a sua ingênua crueza filosófica existencialista, efeito proposital e genial por parte de seu criador, Quino, é rir em cumplicidade com a Vida, ao lado dela como velhos companheiros que somos a Vida e cada um de nós, enquanto ouvimos Eva Cassidy cantando Bridge Over Troubled Water, ao longe.
Não tenho dúvidas: o pensamento é a energia mais poderosa de toda a criação e tudo, tudo o que tem existência material, inclusive a doença, tem um período gestacional, foi anteriormente concebido em uma mente. Fractal, Humana, Cósmica, Universal, Divina.
Mas hoje é sábado. Aê, grande fimde pra nós!  :=]
FORÇA BRUNA & TADEU.

5 Comentários:

Benzion David disse...

"O pensamento é a energia mais poderosa de toda a Criação" - Fé. "... na nossa capacidade humana de distinguir entre o bem e o mal ..." - Princípios.
A Vida (maiúscula) é feita de Fé e Princípios. Na vida (minúscula) há que se aplicá-los, porque se assim não o for, então ambos inexistem de fato em nós. Agora, como saber se eles estão verdadeiramente na essência de nosso ser? Quando os dois são exercitados no dia-a-dia, nas horas boas e não-boas; sabe-se, sim, quando jazem no mágico ato de se ter – e ater –, a virtude de igual ler o bem-viver e os dissabores do viver.
Penso que a criatura - o Blog - e seu criador - o Daniel -, a partir de sua história pessoal, felizmente conseguem transformar ao que Alice Cooper chama de "Welcome To My Nightmares" em "Welcome To My Hope".
Creio, firmemente, que transcendem quando trazem à luz - que se transmuta em Luz - informação, concepção filosófico-metafísica nas entrelinhas e, sobretudo, esperança individual que pode se transformar em coletiva.
Como "velho companheiro" e irmão de andança, finalizo meu comentário incluindo-me como partícipe fraterno de outra paráfrase: "Essa coisa bonita, sublime, essa irmanação(irmana-ação), essa irradiação de energia amorosa".
O que me faz lembrar The Who e a belíssima "Love Reing O'er Me" - é isso, "Que o Amor Impere sobre Mim", sobre todos Nós e com ele sobrevenham a Esperança e a Vida (maiúscula).

Talitha disse...

Só passando pra me apresentar. Estou seguindo seu blog e o leio todos os dias...ele tem mudado minha vida, tem me mostrado o quanto é importante viver e aprender mesmo que com doenças temporárias ;)
Sou Talitha, filha da Leda, alguém que trabalha c vc no DNPM. quando ela me apresentou logo me apaixonei pelo seu blog e agora sou visitante assídua dele. Obrigada por me proporcionar tal aprendizado, não só a mim,mas a todos nós... Deus o abençoe!

daniel disse...

Oi, Talitha! Sua mâe e eu trabalhamos ha um tempão juntos e ela sempre fala com muito orgulho de vc. Agora entendo melhor o pq. Seja bem-vinda e sinta-se a vontade aki para expressar suas opiniões. Bj

Alfredo Moura Palha disse...

O Pensamento + Vontade. A conjugação desses dois é a energia mais poderosa de toda a criação. Se somados ao Amor são capazes de realizar Milagres. Difícil é conjugar os 3 corretamente e na intensidade necessária. Seres da estatura espiritual de Jesus, Buda, Maomé, certamente conjugavam isso tudo com a maior naturalidade.Abc

Thati Guimaraes Gobeth disse...

Te admiro muito! Estou muito orgulhosa de você! Te Amo!! Bjs