quarta-feira, 4 de maio de 2011

3

Pai & Filho

O que você faria se seu filho de apenas dois anos estivesse morrendo de um câncer extremamente agressivo em um hospital? Seu desespero o levaria ao ponto de fazer coisas absurdas, como dar a ele drogas consideradas ilegais, sem a permissão dos médicos?  A história incrível que se segue é a de um pai que não hesitou em fazer isso para tentar ajudar o filho a sarar de um tumor cerebral. Apesar da recusa dos médicos em considerar o tratamento, o óleo a base de maconha entrava clandestinamente no hospital e era dado escondido ao garoto para tratar o tumor cancerígeno e aliviar o sofrimento dos efeitos colaterais.

Se questionados, a maioria dos médicos irá responder que a eficácia terapeutica da maconha medicinal ainda não está devidamente comprovada. Mas não tente dizer isso a Cash Hyde, ou a seu pai, pois para eles a eficácia da droga não poderá jamais ser colocada em questão, já que eles estão absolutamente convencidos de seu poder milagroso.

Cashy era perfeitamente saudável quando nasceu, em junho de 2008. No entanto, antes de seu segundo aniversário ele começou a ficar muito doente e o diagnóstico inicial de febre glandular não convenceu seu pai. Ele sabia que havia algo de mais grave com seu filho. Buscou a opinião de outros médicos e recebeu a notícia de que a criança era portadora de um tumor cerebral perigoso.

O menino teve então de passar por vários ciclos de tratamento com quimioterapia pesada para tentar diminuir o tumor. Apesar de parecer responder ao tratamento, os efeitos colaterais pareciam estar acabando com ele. Tinha convulsões, infecções no sangue, vômitos e dormia a maior parte do dia. Foram tempos muito dificeis para todos.

Em dado momento, a família foi avisada de que a criança tinha pouquissimas chances de sobreviver aos tratamentos ou a doença. O tumor cerebral parecia avançar muito rapidamente. Na cirurgia efetuada, a equipe médica não foi capaz de remover mais do que 10% do tumor, deixando a maior parte do mesmo, que continuou a danificar o corpo do garoto. Houve um momento em que os efeitos da quimioterapia tornaram-se tão insuportaveis que Cashy ficou extremamente fraco, pois  passou 40 dias seguidos sem conseguir ingerir alimentos sólidos.

Foi neste momento que Mr. Hyde, pai de Cashy, vendo o filho entre a vida e a morte, movido pelo desespero, decidiu que algo diferente deveria ser feito para tentar ajudar seu filho. Já tinha lido alguma coisa sobre o poder medicinal da maconha.

A maconha é ilegal no país. Mesmo que alguns estados norte-americanos, como o de Montana, permitam o seu uso medicinal em adultos, isso não se estende às crianças. O governo federal não reconhece a legalidade do uso da droga e frequentemente os Estados são questionados pelo FDA. Os médicos, receosos de correr o risco de perderem suas licenças, sequer cogitaram discutir a possibilidade do uso da maconha em ambiente hospitalar, colocando-se terminantemente contra.

Mr. Hyde conseguiu um fornecedor clandestino de maconha medicinal e simplesmente não disse aos médicos o que pretendia fazer. Para certificar-se de que os efeitos da droga teriam uma chance de trabalho sobre a doença de seu filho, ele apenas pediu aos médicos que suspendessem temporariamente todos os medicamentos anti-náusea, sem informá-los sobre quais eram suas intenções.

Segundo Mr. Hyde, o óleo concentrado de maconha pareceu surtir efeito imediato sobre o estado geral do garoto, que após ter ficado 40 dias sem comer alguma coisa começou a voltar a sentir fome. E até comeu um pedaço de queijo algumas horas após a ingestão da droga.

Cashy foi declarado livre do câncer pelos médicos e está finalmente de volta a sua casa, com a sua família, e voltou a viver a vida de uma criança normal.  Seu pai atribui todos os créditos à maconha medicinal, ou óleo de cannabis na recuperação de seu filho dos efeitos colaterais da quimioterapia, tornando possível a continuidade do tratamento. “É muito controverso, muito assustador. Mas, não há nada mais assustador do que perder meu filho."

Esta é uma história incrível sobre os efeitos positivos da maconha medicinal e de um menino cujo pai se recusou a desistir de sua vida .... e ele foi o melhor.

Leia o original em inglês aqui.

3 Comentários:

Cássia disse...

olha lá Daniel vc que ;e super antenado me diga onde se acha o oleo,ou o pai.Achei ótimo a gente ter um pouco disso ai, pra prevenir,oras....

daniel disse...

Não seria nada mal esse óleo, né, Cássia? Quanto ao pai eu já fico meio cabreiro, rsrsrsr

Vera disse...

Matéria muito bôa e tocante como exemplo de amor e solidariedade.