sexta-feira, 25 de março de 2011

3

Mas que mundo maravilhoso!!

video
D
esculpem o trocadilho infame, mas, ficar falando só de doença o tempo todo me parece um pouco ... doentil, não é mesmo? É por isso que de vez em quando gosto de postar algo, digamos, dissipativo das cruezas desta realidade mais imediata.

E nem sempre, como dizem os filósofos de botequim (sem preconceitos, é claro, de vez em quando estou entre eles), se um é bom, dois é melhor ainda. No mundo da música, por exemplo, tenho visto duetos que poderiam muito bem ter sido piedosamente evitados. Mas também não faltam exemplos que mostram encontros fantásticos.

Neste dueto, cantando What a Wonderful World, de Louis Armstrong, unidas pelo milagre da mais atual tecnologia de mixagem de áudio e vídeo, duas de minhas cantoras prediletas, Eva Cassidy, já falecida, e Katie Melua. Adoro este blues com a Eva, mas cantando com a Katie achei ainda mais emocionante, além de representar ainda um tributo, por Katie, da influência recebida de Eva.

Em 1991, a cantora Natalie Cole inaugurou este tipo de montagem, gravando o tema "Unforgettable", cantando em dueto com o pai já falecido, o cantor e pianista Nat King Cole, uma mixagem tecnicamente perfeita a partir da gravação original feita por Nat no início dos anos 50. Desde então algumas outras foram feitas. Curta este vídeo aqui.

Eva Marie Cassidy (02/02/1963 em Washington, DC a 02/11/1996 em Bowie, Maryland) foi uma cantora americana descrita pelo jornal britânico The Guardian como "uma das maiores vozes de sua geração”. Ela tinha um repertório diversificado que incluía jazz, blues, folk, gospel e pop. Permaneceu virtualmente desconhecida fora de sua cidade natal, Washington, DC, quando morreu de melanoma (que se espalhou para os ossos) em 1996. Suas gravações lançadas postumamente, desde então, venderam mais de quatro milhões de cópias, e no início de 2001, a coletânea Songbird alcançou o 1º lugar nas paradas do Reino Unido.

No Brasil ela permanece desconhecida do público e da mídia até hoje. Eu a descobri no início de 2001. Quando sou fissurado em uma canção tenho a mania de colecionar todas as gravações e interpretações que conseguir encontrar dela. Numa dessas baixei da net “Autumn Leaves”, interpretada por uma cantora chamada Eva Cassidy.  Esta canção, Feuilles Mortes no original francês, com letra do poeta Jacques Prévert e versão inglesa do compositor Johnny Mercer, é um dos maiores clássicos mundiais de todos os tempos e já foi gravada por centenas de interpretes, desde que foi lançada a primeira gravação em 1945, na voz de Yves Montand. (Ainda faltava muito pra eu nascer, mas como música boa não tem idade...).

Mesmo assim e apesar disso, a interpretação de Eva é surpreendente, na simplicidade arrepiante do acompanhamento apenas de seu violão folk e de um piano intimista - no registro de sua apresentação na Blues Alleys. Ela é original, muito ela mesma, sensível e suavemente vibrante, introduzindo genialmente elementos da folk music que caíram como uma luva na harmonia. Algo realmente marcante, novo, belo e emocionante na sua voz cristalina. Maluco delirante, quando ouço esta canção às vezes imagino que ela está cantando pra mim ;). Curta este vídeo aqui.

Por sua vez, a belíssima e talentosa britânico-georgiana Katie Melua, outra ilustre desconhecida no Brasil, parece vir tendo sorte bem diferente. Dona da voz mais quente que já ouvi alguém usar pra cantar, lançou seu primeiro álbum, Call Off The Search em novembro de 2003, aos dezenove anos de idade, alcançando logo o topo das paradas do Reino Unido e vendendo 1,8 milhões de cópias nos primeiros cinco meses. Seu segundo álbum, Piece by Piece, lançado em setembro de 2005, já recebeu quatro discos de platina.

Curtam o vídeo e comentem. Bom fim-de-semana ;)

3 Comentários:

Anitha disse...

Caro Daniel, que grata surpresa...e que aula de conhecimento musical e de bom gosto!
Adorei o vídeo! Lindo e delicado!!!
Obrigada, meu querido!
Bons dias!
Beijo

Bibi &Lilian disse...

Querido Dani, idem ao comentario de Anitha sobre seu bom gosto e intelecto.
realmente é lindo, tocante, dá mais vontade de ficar por aqui, neste mundo maravilhoso. Deus nos conceda essa graça, por muitos anos mais e todos eles sempre juntos, não mais pela doença, mas pela amizade que ficou. Beijos, bom fim de semana e se segura na confeitaria... lilian

Thati Guimaraes Gobeth disse...

Lindo, maravilhoso, incrível, emocionante e de profunda sensibilidade!! Vale repetir e escutar inúmeras vezes! Queria saber cantar assim, já compartilhei!! Bjosssssssss