segunda-feira, 8 de agosto de 2011

2

Itamar Assumpção e o Delírio da Lira Paulistana

Irreverente, debochado, incisivo, iconoclasta, eclético, genial, poeta, maldito, criativo....Faltam adjetivos para tentar defini-lo. Francisco José Itamar de Assumpção tinha uma música, uma arte, que não podia ser enquadrada, classificada segundo padrões de uma estética, ou de uma época.

video
Ele era o novo, a síntese, desde que surgiu no cenário musical de São Paulo, trazendo na bagagem a experiência das primeiras aventuras musicais ainda em Londrina, ao lado do amigo e parceiro Arrigo Barnabé. No final dos anos 70 ele foi um dos grandes nomes do novo movimento musical pós-tropicalista que foi batizado de Vanguarda Paulistana ao lado de Arrigo Barnabé, Premeditando o Breque, Grupo Rumo, Língua de Trapo e cantoras como Tetê Espíndola e Vânia Bastos.

Anarquista, nunca se enquadrou nos esquemas de massificação consumista impostos pela indústria fonográfica. Preferiu não pagar o preço de sua liberdade criativa, e há quem diga que o sucesso e a popularidade bateram várias vezes em sua porta, mas ele nunca abriu.

Abriu, sim, caminho para uma centena de novos artistas que foram tocados pelos ares libertários de sua individualidade desprendida. Suas músicas têm nítida influência do guitarrista Jimi Hendrix, com um sincretismo musical que inclui de samba a rock, passando pelo reggae e pelo funk. Foi diretamente responsável pela aproximação da poeta Alice Ruiz à Vanguarda Paulista, quando mostrou ao público os sons dos versos da poeta.

Faleceu aos 53 anos, vítima de câncer no intestino, em 12 de junho de 2003, quando ainda não se atentava para a importância do diagnóstico precoce. Viveu à margem da mídia, recusando-se, inclusive, a editar suas músicas e a fazer parte do que chamava de sistema.

Mais do que um grande compositor, o Brasil perdeu um gênio, um mito, o cara que tirou a música paulista da mesmice do vácuo deixado pela passagem do movimento tropicalista dos baianos.

Em um cenário musical monopolizado pela música sertaneja (nada contra, mas prefiro a diversidade), imagino o espaço possível para alguém de natureza irrequieta e criativa como Itamar nos dias de hoje.

Ok, Itamar, recebemos e agradecemos.

Baixe aqui o CD Isso vai dar Repercussão. Leia mais sobre Itamar Assumpção

2 Comentários:

Thati Guimaraes Gobeth disse...

Oi pai! Tô longe, mas continuo acompanhando o blog! Já estou em minha última escala, quarta estou por aí!! Bjs

Jamil disse...

Itamar representa um período de retomada das liberdades democráticas no Brasil, de saída do sufoco imposto pelo Regime militar castrador e repressivo. Devemos muito a ele e a todos que se consumiram à margem da sociedade de consumo dos cartões de crédito para que pudessemos ter a liberdade relativa que temos hoje.
Temos muito que agradecer a ele.