terça-feira, 2 de agosto de 2011

2

Agência Nacional de Saude Suplementar publica hoje novo rol com 60 novos procedimentos a serem implementados pelos Planos de Saude.

A partir de 1º de janeiro de 2012, o cliente de planos de saúde terá direito à cobertura de uma série de cirurgias complexas e com métodos menos invasivos para tratar vários tipos de câncer, linfoma, hérnia e problemas de nariz comuns em crianças (como carne esponjosa e sangramento). Isso porque a Agência Nacional da Saúde Suplementar (ANS) publica hoje um novo rol com 60 novos procedimentos obrigatórios, que os convênios terão de cumprir.

De uma lista de 85 procedimentos sugeridos por entidades médicas, a ANS considerou 50 no texto final da consulta pública realizada sobre o assunto. Mas a agência confirmou que incluiu outros dez itens, ainda não divulgados, na finalização da relação.

O novo rol inclui, por exemplo, esplenectomia total ou parcial por videolaparoscopia (remoção cirúrgica completa ou parcial do baço) que pode ser necessária para diagnóstico de linfomas ou tratar trombocitopenia (baixo número de plaquetas no sangue).

“Além dos 60 itens, aumentaremos o número de indicações para alguns procedimentos como terapia ocupacional e PET Scan, exame com diagnóstico por imagem”, diz Martha Oliveira, gerente geral de regulação assistencial da ANS.

Os planos também terão de cobrir operações para tratamento de hérnia abdominal e dois tipos de colectomia por videolaparoscopia – retiradas cirúrgicas de um segmento de cólon (intestino grosso) para tratamento de câncer.

Procedimento incluído no novo rol, o implante coclear (o chamado ouvido biônico), passa a valer desde já. Isso porque a ANS publicou no último dia 29 no Diário Oficial da União uma resolução que obriga a cobertura. O procedimento, que corrige surdez e custa cerca de R$ 100 mil, era obrigatório, mas foi excluído da lista de coberturas em junho do ano passado.

Apesar de comemorar as inclusões, as entidades de defesa do consumidor não ficaram satisfeitas. “O rol é uma referência mínima de cobertura obrigatória. Não deve ser considerado cobertura única e excluir a obrigação de a operadora cobrir os procedimentos clinicamente justificados e que não estão no rol”, diz Luciana Dantas, especialista em defesa do consumidor do Procon-SP.

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) vai além e pede a adição de transplantes de coração, pulmão, pâncreas e fígado – sugeridos pela Associação Médica Brasileira (AMB) na última consulta pública.

“A inclusão dos transplantes é imprescindível, já que a revisão do rol deve buscar se equiparar aos protocolos públicos e acompanhar a incorporação de procedimentos pelo SUS”, afirma Juliana Ferreira.
Fonte aqui

2 Comentários:

Cássia disse...

Oi Daniel, firme e forte??? Gracias a Dios.

Só espero que o valor ($$$) do plano não aumente muito porque doente do meu parco salarinho tiraram minhas gratificações acredita??? Professora da rede pública de São Paulo se afata para tratar o câncer e tem seu salário reduzido, já que não está "produzindo". Eita mundo véio sem porteira. Beijos meu querido, adoro te visitar aqui,pois fico sempre informada.Quando minha irmã vem com dúvidas eu digo: - pera ai , vamos olhar no blog do Daniel.Rsrsrsr. Obrigada por nos manter informada sempre.

Solange disse...

Olá Daniel, como está?
Importante sua postagem,sempre espero que todos tenham acesso a estas informações, para terem seus direitos respeitados. Olha tem uma homenagem para você no meu blog rs dá uma olhadinha.
Bjos no coração
Sol