segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

2

Grande notícia para começar o ano: possível cura para a leucemia encontrada num composto de óleo de peixe


Eu e meus irmãos tomamos muito Óleo de Fígado de Bacalhau, a famigerada Emulsão de Scott, quando crianças, e em Portugal, até há pouco tempo, as escolas colocavam as crianças em fila e administravam-lhes diretamente na boca uma colher das de sopa desse óleo. Agora, com efeito, um composto produzido a partir de óleo de peixe, que ataca as células-tronco da leucemia, poderá levar a uma cura definitiva para a doença, segundo pesquisadores da Penn State. As pesquisas com camundongos revelaram-se muito animadoras. Os pesquisadores, que já registraram um pedido de patente, estão se preparando para testar o composto em humanos. Os tratamentos atuais são incapazes de matar as células-tronco da leucemia. A descoberta foi publicada na última edição da Revista Sangue

O composto - denominado delta-12 protaglandin-J3, ou D12-PGJ3 - atacou e matou as células-tronco da leucemia mielóide crônica, ou LMC em camundongos, disse Sandeep Prabhu, professor de Imunologia e Toxicologia Molecular do Departamento de Veterinária e Ciências Médicas. O composto é produzido a partir do ácido eicosapentaenóico - um ácido graxo Omega-3 encontrado nos peixes e no óleo de peixe.

"No passado, a pesquisa com ácidos graxos mostrou os benefícios à saúde destes compostos sobre o Sistema Cardiovascular e o desenvolvimento do cérebro, particularmente em crianças, mas nós estamos demonstrando que alguns metabólitos do Omega-3  têm a capacidade de matar seletivamente as células-tronco da leucemia em camundongos", disse Prabhu. "O importante é que os ratos ficaram completamente curados e sem recaídas."

Os pesquisadores disseram que o composto mata as células-tronco cancerígenas no baço dos camundongos e na medula óssea. Especificamente, ele ativa um gene - p53 – que atua como supressor do tumor, pois regula a resposta ao dano no DNA e mantém a estabilidade genômica.

Eliminar as células-tronco da leucemia, um câncer das células brancas do sangue, é importante porque elas podem se dividir e produzir mais células de câncer, bem como criar mais células-tronco defeituosas.

A terapia atual para LMC prolonga a vida do paciente, mantendo baixo o número de células de leucemia, mas as drogas não conseguem curar completamente porque não têm como alvo as células-tronco da doença, disse Robert Paulson, professor de Ciências veterinárias e biomédicas, coautor da pesquisa. "Os pacientes devem tomar estes medicamentos de forma contínua", disse Paulson. "Se eles pararem a doença voltará, porque as células-tronco da leucemia são resistentes às drogas atuais."

"Essas células-tronco podem se esconder do tratamento, e basta uma pequena população delas para dar origem a mais células de leucemia", disse Paulson. "Assim, ter como alvo as células-tronco é essencial se você quer curar a leucemia."

Durante os experimentos foram injetados em cada camundongo cerca de 600 nanogramas de D12-PGJ3 diariamente, por uma semana. Os testes mostraram que os camundongos ficaram completamente curados da doença. O baço voltou ao tamanho normal e o hemograma dentro de todos os parâmetros. A doença não apresentou recaída.

Os pesquisadores se concentraram sobre a D12-PGJ3 porque ela matou as células-tronco da leucemia e teve o menor número de efeitos colaterais. Eles estão agora trabalhando para determinar se o composto pode ser usado para tratar a fase terminal da LMC, conhecida como crise blástica. Atualmente não há medicamentos disponíveis que possam tratar a doença quando ela avança para esta fase.

Traduzido e condensado pelo autor do blog de matéria publicada em ScienseDaily em 22/12/2011. Leia release original aqui.

Óleo de Fígado de Bacalhau: Uma Tradição Que Faz Bem!

Por Dr. Alexandre Feldman
Antigamente, as mães e avós não deixavam faltar, na vida de seus filhos e netos, uma colher diária de óleo de fígado de bacalhau. Elas sabiam – aprenderam de suas próprias mães e avós – que ele faz bem. Essa sabedoria popular estende-se a várias civilizações muito antigas, cuja saúde, constituição física, agilidade mental, sobrevivência e prosperidade dependiam de ingredientes da sua alimentação. Nessas culturas, o óleo de fígado de bacalhau era reverenciado! Tomá-lo ou não, fazia toda a diferença. E como veremos, ainda pode fazer!
Se de um lado, a ciência contemporânea séria estuda e comprova, a cada dia, os importantes benefícios do óleo de fígado de bacalhau, de outro, infelizmente alguns profissionais de saúde acham que esse óleo não serve para nada. Claro, ninguém pode patentear o coitado do bacalhau, portanto a indústria farmacêutica não possui o menor interesse em divulgá-lo…

O óleo de fígado de bacalhau é uma fonte importante de nutrientes essenciais, porém difíceis de serem obtidos na dieta contemporânea: Além de ácidos graxos ômega-3, ele é rico em vitaminas A e D pré-formadas, podendo conter pequenas quantidades de vitamina K, vital para a saúde do sangue e dos ossos.
A vitamina D promove a absorção e transferência de cálcio através das membranas celulares. Essa transferência cálcio é importante não apenas para os ossos, mas também para o bom funcionamento do cérebro e sistema nervoso.
A vitamina D também influencia a absorção de magnésio e zinco. Níveis adequados de cálcio, magnésio e zinco no cérebro são fundamentais para a neurotransmissão. Doenças como a enxaqueca, depressão, ansiedade, pânico, fibromialgia e síndrome do déficit de atenção, têm como base um mau funcionamento na neurotransmissão.
Um estudo norte-americano publicado em 7 de setembro de 2006 na revista Epidemiology and Infection, relata que a forma biologicamente ativa de vitamina D (que se encontra no óleo de fígado de bacalhau) possui propriedades antiinflamatórias!
A vitamina D contribui para o equilíbrio hormonal. Estudos científicos associaram sua ingestão à melhora de doenças como ovários policísticos, infertilidade, TPM e enxaqueca menstrual.
Estudos demonstram que estados de deficiência de vitamina D produzem sintomas que são confundidos com fibromialgia e síndrome da fadiga crônica. Ambas essas doenças, freqüentemente, coexistem com a enxaqueca.
A vitamina D regula uma enzima chamada tirosina hidroxilase, necessária para a produção de neurotransmissores como a dopamina, adrenalina e noradrenalina. O desequilíbrio desses neurotransmissores está associado à enxaqueca e depressão, entre outras doenças. Leia mais a respeito da relação entre neurotransmissores e enxaqueca no meu livro, “Enxaqueca – Só Tem Quem Quer”.
Para ser assimilada pelo organismo de maneira adequada, a vitamina D precisa ser ingerida juntamente com gordura, pois ela dissolve-se na mesma, facilitando a sua absorção. Além disso, é desejável que mantenha uma proporção adequada com a vitamina A. Ambos esses requisitos estão presentes no óleo de fígado de bacalhau.
O óleo de fígado de bacalhau também contém ômega-3, conhecido por suas propriedades antiinflamatórias.
Quantas qualidades para um único alimento!
Existem várias qualidades de óleo de fígado de bacalhau. Um produto, por exemplo, pode ostentar o rótulo de “óleo de fígado de bacalhau”, mas se você ler atentamente a lista de ingredientes, poderá encontrar vários não desejáveis à saúde, como óleo de soja, aromatizantes, corantes, sabor artificial, etc. Por isso, fique de olho.
Algumas farmácias de manipulação possuem óleo de fígado de bacalhau puro em seus estoques, mas só podem vendê-lo mediante receita médica. Por isso, uma boa idéia é conversar com seu médico a respeito. Ele poderá orientá-lo quanto à dosagem mais adequada para o seu caso.
Existem drogarias que possuem o óleo de fígado de bacalhau na forma de cápsulas. Estas podem ser adquiridas diretamente, sem receita médica. Mas cuidado, existem alguns que não são puros, portanto leia os rótulos com atenção.
Não confunda “Óleo de Peixe” com “Óleo de Fígado de Bacalhau”. Prefira o último.
Ao consumir o óleo de fígado de bacalhau, certifique-se de ingerir bastante cálcio. Sugiro, como fonte de cálcio, o iogurte natural integral. Esse detalhe é importante para a saúde dos seus ossos. Não faz bem aos ossos ingerir vitamina D sem ingerir cálcio suficiente.
Na minha experiência, o óleo de fígado de bacalhau é um excelente suplemento. Por isso, minha dica é: converse com seu médico de confiança a respeito e verifique se esse suplemento é adequado para você.
Para ler mais sobre óleo de fígado de bacalhau, leia também os seguintes artigos:
Óleo de Fígado de Bacalhau – Uso, Qualidade e Disponibilidade (clique aqui).
Óleo de Figado de Bacalhau Reduz a Dor (clique aqui).
Óleo de Fígado de Bacalhau – Um Superalmento para Crianças (clique aqui).

2 Comentários:

Glaucia Moreno disse...

Oi Daniel,
Tudo joia?

Estou iniciando o processo de radio e amei o seu tópico sobre o assunto, vou ler tudinho...rs.

Abraços
Glau

Aline Kalçovik disse...

ola

meu filho foi diagnosticado como hiperativo quando estava com dois anos e meio de idade , na epoca aceitei e comecei a dar a risperidona.. havia momentos que ele parava totalmente e quando passava o efeito do remedio voltava 10 vezes mais agitado.. depois descobri que tinha uma miopia muito alta.. e verifiquei que acalmou com o uso continuo do óculos.. ai resolvi tirar os remedios controlados e optar por calmantes naturais.. e continuei pesquisando por minha conta.. em out do ano passado comecei a administrar so o oleo de figado de bacalhau de la para ca nao so a bronquite dele nao atacou mais como ele esta muito mais calmo sem precisar nem de calmante natural.. hoje eu acredito muito que o oleo de figado de bacalhau é muito bom mesmo